Notícia

IDG Now!

Brasil deve exportar tecnologia, diz pesquisador

Publicado em 17 novembro 2005

O Brasil precisa alterar os padrões de exportação para incentivar o crescimento econômico. "Se quisermos crescer nos níveis pretendidos, é importante elevar o conteúdo tecnológico da pauta de exportações", disse Eduardo Viotti, professor da Universidade de Brasília (UnB) e consultor do Senado, no primeiro dia da 3ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, quarta-feira (16/11), em Brasília.

Segundo dados apresentados pelo pesquisador em palestra, as commodities primárias, como os produtos agrícolas, representam apenas 10% do comércio mundial, enquanto esse mesmo tipo de produto corresponde a 40% das exportações brasileiras.
Os números se invertem quando são analisados os produtos de alta tecnologia. Na pauta brasileira, esses itens respondem por um volume de 12%, enquanto nos países desenvolvidos eles ultrapassam os 30%. "Priorizar as exportações em produtos primários é permanecer em um mercado que perderá o fôlego nos próximos anos", analisou o professor, segundo a Agência CT, do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

Viotti ressaltou que a inovação tecnológica e o investimento em pesquisa e desenvolvimento têm papel-chave no desenvolvimento sustentável da economia, contribuindo para reverter esse quadro.
O professor da UnB reforçou também a importância de promover uma política macroeconômica focada no crescimento e do desenvolvimento de ações voltadas para extensão, difusão, absorção, aperfeiçoamento e capacitação.

Agência Fapesp