Notícia

Gazeta Mercantil

Brasil constrói seu primeiro radar móvel

Publicado em 30 novembro 2007

O radar Doppler móvel, um dos mais eficazes equipamentos meteorológicos na detecção de tempestades e eventos extremos passou a ser produzido pela primeira vez no Brasil. A tecnologia é 100% nacional e foi desenvolvida pela joint-venture Atmos, criada em 2004 de uma parceria entre a Atech e a Omnisys, ambas do parque aeroespacial. O projeto do radar, que é instalado sobre um caminhão, contou com a participação da Universidade de São Paulo (USP).

O radar móvel da Atmos foi financiado com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) de R$ 2 milhões. O aparelho foi concluído no início deste ano e vinha sendo testado nos últimos meses. Ele será usado pelo Sistema Integrado de Hidrometeorologia do Estado de São Paulo (Sihesp), responsável pelo serviço de informações sobre chuvas nos 39 municípios da região metropolitana de São Paulo.

O radar móvel é utilizado, na maioria das vezes, para apoiar atividades científicas e prever fortes chuvas, emitindo alertas à Defesa Civil, pois obtém informações em tempo real. O equipamento consegue ter alta precisão em distâncias até 200 quilômetros.

Os equipamentos Doppler, principalmente os móveis, são ideais para detectar nuvens de tempestade (cúmulo nimbo) potenciais para precipitação de granizos, surgimento de tornados e rajadas de ventos que possam se deslocar ou rumar em direção de áreas urbanas e agrícolas, dando a localização precisa do evento e seu poder destrutivo.

O aparelho da Atmos ganhou o nome comercial de Mobmet e está entre os mais modernos de sua categoria usados para vigilância e monitoramento do tempo. Sua antena parabólica tem 2,4 metros de diâmetro e gira em 360 graus. Todos os módulos operacionais do radar ficam acondicionados em uma sala climatizada com duas estações de trabalho.

O caminhão que serve de plataforma possui um sistema de nivelamento pneumático de controle automático. Isto possibilita sua operação em terrenos com declives ou irregularidades.

Também carrega fontes geradoras de energia elétrica que alimentam todo o sistema, inclusive a transmissão de dados para receptores fixos, existentes em centros de estudos e monitoramento meteorológico.

O preço do equipamento, que será comercializado para entidades públicas e empresas privadas, não foi revelado.