Notícia

Cotidiano Digital

Brasil, Argentina e EUA lideram discussão sobre impactos socioambientais

Publicado em 07 agosto 2009

Quais são os impactos do uso da água e da terra no cultivo de espécies e no processo produtivo de biocombustíveis? Desses impactos, quais são de importância local, nacional ou afetam o continente americano? Quais são os efeitos esperados na biodiversidade pelo uso de bioenergia? Afinal, os biocombustíveis são viáveis ambientalmente, economicamente e socialmente?

Essas são algumas das perguntas que um grupo de pesquisadores experts do Brasil, Argentina e Estados Unidos pretendem responder nos próximos dias 10, 11 e 12 de agosto, durante o workshop Tecnologias em biocombustíveis e suas implicações no uso da água e da terra, em Atibaia, São Paulo. No dia 13 de agosto, as conclusões das discussões realizadas em Atibaia serão apresentadas em um simpósio na sede da FAPESP - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, das 8h às 13h.

A aproximação entre cientistas de países com interesses socioeconômicos diferentes tem como objetivo nivelar o conhecimento sobre as demandas, avanços e dificuldades de cada país na produção e uso sustentável de bioenergia. A partir das discussões propostas espera-se diagnosticar os problemas que precisam ser enfrentados em nível local, nacional e continental, reduzindo as contradições existentes em relação aos impactos gerados pela produção de biocombustível e à sua contribuição na redução dos fatores das mudanças climáticas.

Outro objetivo é identificar os possíveis pontos para projetos cooperativos entre grupos de pesquisa dos três países que sejam capazes de solucionar tais dificuldades. Pretende-se, ainda, apontar às agências de fomento a pesquisa quais são as áreas-chave que demandam recursos para a busca de soluções dos problemas.

Participarão das discussões especialistas em hidrologia, ciências do solo, climatologia, ecologia, botânica, economia, engenharias química e agronômica, entre outras. Os resultados serão apresentados por Marcos Buckeridge, um dos coordenadores do Programa FAPESP de Pesquisa em Bioenergia (BIOEN) e professor do Instituto de Biociências (USP); Robert Anex, professor da Iowa State University, PhD em engenharia ambiental e civil, e Ernesto Quiles, Diretor de Agroenergia da Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Alimentação do Ministério da Produção, da Argentina.