Notícia

Folha de S. Paulo

Bolsas mais fartas não atraem pós-doc

Publicado em 08 outubro 2010

Por Sabine Righetti
A formação de 10 mil doutores por ano é vista como uma das principais vitórias do investimento em ciência no Brasil. Mas esse feito pode naufragar sem a fase seguinte: a do pós-doutorado. Para especialistas, os pós-doutores (ou pós-docs, como são conhecidos) são os grandes responsáveis por alavancar a produção científica nos países desenvolvidos. O Brasil, no entanto, ainda não reúne dados oficiais sobre quantos pós-doutores (com ou sem bolsa de agências que financiam pesquisa) circulam por aqui. O que se sabe é que [...]

Conteúdo na íntegra disponível para assinantes do veículo.