Notícia

JC e-mail

Bolsas de TT têm novos procedimentos

Publicado em 29 dezembro 2006

Por Agência FAPESP

Fapesp

anuncia normas do Programa Bolsas de Treinamento Técnico que deverão ser adotadas a partir de 1º de janeiro para novas solicitações de Auxílios a Pesquisa

A Fapesp anuncia que, a partir de 1º de janeiro de 2007, serão alterados os procedimentos referentes ao uso das Bolsas de Treinamento Técnico (TT) para novas solicitações de Auxílios a Pesquisa (Regular, Temático, Jovem Pesquisador, Pipe, Pite, Biota, Políticas Públicas).
Na nova sistemática, as Bolsas TT passam a ser solicitadas como parte do orçamento da proposta de pesquisa, sendo analisadas conjuntamente com a proposta. Na apresentação da proposta, o pesquisador responsável deverá apresentar o plano de atividades para as bolsas solicitadas. Para as bolsas aprovadas, caberá ao pesquisador responsável a seleção e o acompanhamento dos bolsistas, mediante processo público de convite e seleção.
O Programa de Capacitação de Recursos Humanos — Capacitação Técnica, iniciado em 1996, tem por objetivo treinar e aperfeiçoar técnicos e alunos de cursos técnicos de nível médio e superior que participem de atividades de apoio a projetos de pesquisa vigentes em instituições do Estado de São Paulo, financiados pela Fapesp. Dentro do programa tem papel proeminente as Bolsas TT.
Os níveis de Bolsas TT são:
Bolsa TT-1, para alunos de graduação, sem reprovações em seu histórico escolar e sem vínculo empregatício, com dedicação de 15 horas semanais às atividades de apoio ao projeto de pesquisa, sem que haja prejuízo ao seu desempenho acadêmico;
Bolsa TT-2, para alunos do último ano ou egressos do nível médio técnico, sem reprovações em seu histórico escolar e sem vínculo empregatício, com dedicação de 16 a 40 horas semanais (o valor da bolsa a ser paga será proporcional ao número de horas semanais) às atividades de apoio ao projeto de pesquisa;
Bolsa TT-3, para alunos graduados do nível superior, sem reprovações em seu histórico escolar e sem vínculo empregatício, com dedicação de 16 a 40 horas semanais (o valor da bolsa a ser paga será proporcional ao número de horas semanais) às atividades de apoio ao projeto de pesquisa;
Bolsa TT-4, para graduado, especialista em Tecnologia de Informação (TI), com dois anos de experiência ou título de mestrado na área de TI, sem vínculo empregatício, com dedicação de 16 a 40 horas semanais (o valor da bolsa a ser paga será proporcional ao número de horas semanais) às atividades de apoio ao projeto de pesquisa;
Bolsa TT-4A, para graduado, especialista em TI com pelo menos quatro anos de experiência, sem vínculo empregatício, com dedicação de 16 a 40 horas semanais (o valor da bolsa a ser paga será proporcional ao número de horas semanais) às atividades de apoio ao projeto de pesquisa;
Bolsa TT-5, para graduado, especialista em TI com pelo menos cinco anos de experiência ou título de doutorado, sem vínculo empregatício, com dedicação de 16 a 40 horas semanais (o valor da bolsa a ser paga será proporcional ao número de horas semanais) às atividades de apoio ao projeto de pesquisa;
O período de vigência das bolsas poderá ser de, no máximo, 24 meses, e nunca superior ao período de vigência do auxílio a que se vincula. As bolsas outorgadas em regime de substituição terão o tempo de vigência restante da bolsa anteriormente concedida.
Mais informações: www.fapesp.br/bolsastt
(Agência Fapesp, 29/12)