Notícia

Monitor Mercantil

Boeing montará centro de pesquisa SP

Publicado em 05 abril 2012

A Boeing anunciou que irá estabelecer um centro de pesquisa e tecnologia em São Paulo, trabalhando com os principais pesquisadores e cientistas do país. O investimento inicial está estimado entre US$ 4 milhões e US$ 5 milhões por ano - aporte semelhante ao realizado na China, em 2009.

O novo centro de pesquisa e desenvolvimento - o sexto da companhia - abrirá ainda este ano e servirá como um pólo de colaborações entre a Boeing e companhias brasileiras, incluindo agências governamentais, empresas do setor privado e universidades.

Biocombustíveis sustentáveis de aviação, gestão do tráfego aéreo avançada, metais e bio-materiais avançada e tecnologias de apoio e serviços serão as principais áreas de pesquisa do centro da Boeing no país.

"A Boeing é definida por sua tecnologia de ponta, e estabelecendo o centro de pesquisa e tecnologia no Brasil, trará novas idéias e processos inovadores para a nossa empresa", disse Donna Hrinak, presidente da Boeing no país. "Nós também fortaleceremos nosso relacionamento com a comunidade de pesquisa e desenvolvimento do Brasil de forma a aumentar as capacidades e atingir as metas para o desenvolvimento econômico e tecnológico do país"

"Como parte do estratégico compromisso de longo prazo para o Brasil, vamos estabelecer a colaboração projetos de pesquisa e tecnologia, que vão beneficiar o Brasil, enquanto o apoio do investimento da Boeing manterá a nossa vantagem competitiva", disse Al Bryant, vice-presidente de Boeing Research & Technology-Brasil. "Esta é uma oportunidade que beneficia tanto o Brasil como a Boieng", completou.

Esse será o sexto centro de pesquisa avançado da Boeing fora dos Estados Unidos. Os outros estão localizados na Espanha, Austrália, China, Índia e Russia.

Em julho de 2011, a Boeing e a fabricante brasileira de aeronaves Embraer anunciaram planos para juntas analisar oportunidades para a produção de biocombustível sustentável de aviação a jato. Em outubro do mesmo ano, a Boeing, Embraer e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) assinaram uma carta de intenções para a criação de um jato bio-derivado e produção de combustível sustentável e indústria de distribuição no Brasil. 
 

F-18

Hrinak também aproveitou para afirmar que o centro garante maior presença da empresa no país mas que não está relacionado ao centro, apesar de reforçar seu interesse na disputa de um contrato multibilionário de jatos com a Força Aérea Brasileira (FAB).

"O centro de pesquisa vai muito além de qualquer decisão do governo brasileiro... o caça F-18 é assunto de um dos negócios da Boeing". A Boeing está oferecendo o caça F-18 ao Brasil, concorrendo com a francesa Dassault e a sueca Saab.