Notícia

Canal Rural

Boeing, Embraer e Fapesp fecham acordo para desenvolver biocombustíveis no Brasil

Publicado em 26 outubro 2011

Centro de pesquisa deve estudar energia sustentável para aviação

A Boeing, Embraer e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) anunciaram nesta quarta, dia 26, carta de intenção para colaboração em pesquisa e desenvolvimento de biocombustíveis para a aviação. As companhias aéreas Azul, GOL, TAM e Trip atuarão como consultoras estratégicas do programa.

De acordo com o documento assinado nesta quarta, Boeing, Embraer e FAPESP vão liderar um estudo sobre oportunidades para a criação de uma indústria de produção e e distribuição de combustível. A pesquisa deve ser concluída até o final do ano que vem.

Por meio de seleção pública, será criado um centro de pesquisas focado no desenvolvimento de energia. A missão do centro será produzir ciência que ajude a preencher as lacunas técnicas, comerciais e de sustentabilidade necessárias para a criação de uma nova cadeia de suprimento de combustível para o setor brasileiro de aviação.

– Reunir pessoas de todo o Brasil, com a liderança e expertise para criar novas fontes de energia de baixo carbono para aviação, é a coisa certa a ser feita para a nossa indústria, consumidores, para o Brasil e para as gerações futuras – disse Donna Hrinak, presidente da Boeing Brasil.

Desde 2008, testes de vôo conduzidos por empresas e operadores militares mostraram que o desempenho dos biocombustíveis é igual ou melhor do que a do combustível de avião baseado em querosene.

EMBRAER