Notícia

BOL

Boeing e Embraer fazem acordo de cooperação em negócios e pesquisa

Publicado em 09 abril 2012

A empresa de aviação norte-americana Boeing e a brasileira Embraer assinaram nesta segunda-feira (9) um acordo de cooperação em diversas áreas de negócios, incluindo a aviação comercial, com o objetivo de elevar a eficiência operacional, segurança e produtividade, de acordo com comunicado divulgado pelas empresas.
 
As áreas de cooperação incluem funcionalidades para aeronaves comerciais que aumentem a segurança e a eficiência, pesquisa e tecnologia, e englobam também pesquisas em biocombustíveis sustentáveis para aviação.

"As duas empresas também buscarão outras áreas de cooperação visando benefícios mútuos e valor para seus clientes", informaram as empresas em comunicado.

"O acordo estabelece um relacionamento importante entre duas das maiores empresas aeroespaciais do mundo para cooperação em temas relacionados à melhoria da eficiência operacional, segurança e produtividade de aeronaves e satisfação dos clientes, gerando valor para as duas empresas e seus clientes".

O acordo foi anunciado pelo presidente da Embraer, Frederico Curado, e pelo presidente da Boeing, Jim Albaugh, que também comanda a área de aviões comerciais da empresa norte-americana, durante visita da presidente brasileira Dilma Rousseff aos Estados Unidos.

O anúncio foi feito no mesmo dia em que foi assinado um Memorando de Entendimento para Parceria em Aviação entre os governos brasileiro e norte-americano, para "aprofundar a cooperação entre os dois países na aviação civil, por meio do estreitamento da comunicação entre agências governamentais e aumento da cooperação e iniciativas do setor privado, criando parcerias econômicas e promovendo investimentos".

Em outubro de 2011, a Boeing anunciou um acordo de cooperação com a Embraer e a Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp, pública) para desenvolvimento de um programa de biocombustíveis para aviação.

Pelo acordo, as três instituições estudarão as oportunidades e desafios para o desenvolvimento da indústria de biocombustíveis para a aviação no Brasil. Essa análise viabilizará a construção de um centro de investigação para o setor, ainda sem data prevista para sua inauguração.

A Boeing anunciou na última terça-feira (3) que pretende ter um centro de pesquisa e tecnologia aeroespacial em São Paulo ainda este ano. A informação foi divulgada em entrevista coletiva em São Paulo.

A empresa não soube definir qual será o investimento total no Brasil, mas disse acreditar que deve ficar entre US$ 4 milhões e US$ 5 milhões durante o primeiro ano.

Representantes da Boeing afirmaram que o centro de pesquisas no Brasil vai servir para que sejam buscadas novas soluções de materiais para a indústria aeronáutica. É o primeiro centro deste tipo da Boeing na América Latina -existem outros cinco no mundo.

(Com informações da Reuters e France Presse)