Notícia

CIMM - Centro de Informação Metal Mecânica

Boeing amplia investimento na indústria de biocombustível para aviação no Brasil

Publicado em 18 junho 2019

Fabricante quer identificar comunidades de agricultores no Brasil para fornecer matérias-primas para produzir combustível sustentável

A Boeing anunciou nesta segunda-feira (17) US$ 1 milhão em investimentos no Brasil para estabelecer uma indústria de combustível sustentável para a aviação. De acordo com a empresa, o capital será investido em iniciativas que “maximizem benefícios sociais, econômicos e ambientais” para as comunidades locais envolvidas na produção de matérias-primas para fabricar biocombustível para aviões. Em 2018, a empresa norte-americana já havia investido outro US$ 1 milhão para as ações do setor no mercado brasileiro.

“O Brasil é uma potência em biocombustível e acreditamos que essa liderança pode se traduzir em benefícios para pequenos agricultores e comunidades que participam da cadeia de fornecimento de múltiplas matérias-primas que viabilizam a produção de biocombustível para aviação no país”, disse Marc Allen, vice-presidente sênior da Boeing e presidente da parceria com a Embraer e das operações do grupo.

A Boeing vai realizar o novo investimento no país em parceria com o Fundo Mundial para a Natureza (WWF) e a Roundtable for Sustainable Biomaterials (RSB- sigla em Inglês para Mesas Redondas para Biocombustíveis Sustentáveis), para identificar comunidades de agricultores com potencial para fornecer biomassa para a produção de biocombustível. Os produtores serão então certificados usando indicadores de sustentabilidade que geram benefícios sociais, como geração de renda, práticas trabalhistas sólidas e segurança alimentar. Pequenos grupo de lavradores que produzem cana de açúcar e óleo de macaúba na região sudeste já foram certificados pela RBS nos últimos anos, com o apoio financeiro da gigante do setor aeroespacial.

Em 2013, tanto o WWF quanto a RBS participaram do desenvolvimento do Plano de Voo Para Biocombustíveis de Aviação no Brasil. Este projeto, liderado pela Boeing, Embraer e a Fundação de Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), detalha as oportunidades e desafios de criar uma indústria de distribuição e produção de biocombustível para a aviação que seja economicamente viável e sustentável no Brasil.

“Nos últimos 10 anos, a Boeing investiu mais de US$ 2 milhões em projetos comunitários no Brasil”, disse Allen. “O Brasil é líder na indústria aeroespacial global e a Boeing está empenhada em trabalhar com nossos parceiros locais para garantir sua permanência na vanguarda da inovação por muitas gerações.”

A Boeing também informou que espera fazer um anúncio sobre novos investimentos na área de Educação em ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM, na sigla em inglês) no Brasil nas próximas semanas.