Notícia

UOL

#BoasNotícias21/04: Caça-vírus do Dona Marta, testes e respirador quase lá

Publicado em 21 abril 2020

Por Agência FAPESP

Ainda não faz dois meses desde que foi registrado o primeiro caso de coronavírus no Brasil. Levando-se em consideração esse curto período de tempo, é surpreendente o tamanho da mobilização, organização e resultados da sociedade civil.

Diariamente, Ecoa selecionará boas notícias como essas para te ajudar a ter um pouco de esperança e mais informação no meio da pandemia de Covid-19.

Os caça-vírus do Dona Marta

Por exemplo, no Morro Dona Marta, os moradores se organizaram e criaram uma equipe e um protocolo de sanitização para limpar ruas e vielas e prevenir a transmissão do vírus. "Em mais um exemplo onde a realidade na favela é determinada pelo 'nós por nós', decidimos desinfetar e sanitizar os caminhos pelos quais passam trabalhadoras e trabalhadores que precisam sair de casa e para manter o sustento de suas famílias", diz o comunicado do projeto. Aqui você pode saber mais e doar.

Inovação entrando em prática

Já está pronto para entrar em linha de produção um respirador emergencial de patente aberta, muito mais barato e rápido de ser fabricado, criado e desenvolvido por pesquisadores da USP. O projeto, chamado Inspire, tinha sido anunciado há algumas semanas. Desde então, os pesquisadores puderam realizar testes com pacientes, com sucesso. Nesta semana será solicitada à Anvisa a autorização para produzir o aparelho. O equipamento pode entrar na linha de produção em cerca de dez dias.

Não é à toa

Esses avanços são possíveis com trabalho. Mais de 140 pesquisadores das universidades de São Paulo (USP), Estadual de Campinas (Unicamp), Estadual Paulista (Unesp) e Federal de São Paulo (Unifesp) ampliaram o escopo de projetos (Auxílios à Pesquisa e Bolsas) apoiados pela FAPESP para incluir estudos ou iniciativas direcionadas ao estudo da COVID-19 e do coronavírus.

Testes quase lá

Começa, enfim, a ser possível a realização de testes em massa. O Instituto Butantan, de São Paulo, anunciou que pretende zerar a fila de testes até amanhã. No começo do mês, o governo do Estado criou uma rede com outros hospitais e hemocentros estaduais da capital e do interior para acelerar as análises, e agora se prepara para normalizar a situação. O diretor do Butantan aponta que a necessidade de ampliar a rede também é uma forma de se preparar para o avanço da pandemia e que o governo não enfrenta mais falta de insumos. "Se espera que a demanda vá aumentar muito rapidamente à medida que a curva (de casos) também cresça. Esperamos que não seja explosivo."

Podcast científico

A USP acaba de lançar um podcast dedicado a reflexões e ações científicas durante o período de isolamento social. No primeiro episódio da série Ciência USP em Quarentena, o entrevistado é um engenheiro civil que nunca tinha pensado nas demandas das máscaras médicas até a covid-19 chegar ao Brasil. Agora, ele coordena uma iniciativa que pretende produzir um milhão de máscaras profissionais e gerar renda para costureiras. As máscaras serão destinadas às equipes dos hospitais da USP.