Notícia

Revista O Papel

Biotecnologia pode reduzir custos da produção de papel

Publicado em 01 janeiro 2019

Com apoio do programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) e do Programa de Apoio à Pesquisa em Empresas (PAPPE-Subvenção), a Verdartis, empresa especializada em biotecnologia, desenvolveu um processo de produção de enzimas capazes de tornar o processo de refino de celulose mais sustentável. A ação das enzimas ajuda a degradar as fibras de celulose, acelera o processo e diminui, assim, a energia elétrica gasta na produção. Segundo uma avaliação realizada no Laboratório de Celulose e Papel da Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, a mistura das enzimas produzidas pela Verdartis leva à redução de cerca de 30% no consumo de energia gasto na etapa de refino. O plano agora é buscar o apoio da FAPESP também para o desenvolvimento do escalonamento da produção, colocando uma alternativa nacional às enzimas produzidas no exterior, pois, segundo a empresa as enzimas produzidas fora do país são voltadas para madeira de coníferas, enquanto no Brasil utiliza-se o eucalipto. Fonte: Verdartis