Notícia

Meio Ambiente Industrial

Biorremediação é tema de curso em São Paulo

Publicado em 01 agosto 2005

A biorremediação é uma técnica que utiliza microorganismos no tratamento de resíduos tóxicos por meio da decomposição aeróbia ou anaeróbia. Fungos e bactérias realizam esse trabalho, pois s capazes de metabolizar resíduos tóxicos presentes no ambiente e transformá-los em substâncias com pouco ou nenhuma toxidade. E então, depois de desgastar os contaminantes, a população de microorganismos retorna aos níveis normais, já que a sua fonte de alimento se esgota.
No Brasil, este método ainda é pouco utilizado, porém pode ser promissor e eficiente se utilizado nas áreas contaminadas. Segundo o último levantamento da Cetesb — Companhia de Tecnologia e Saneamento Ambiental, só no Estado de São Paulo, o índice de poluentes cresceu de 255, em 2002, para 727 áreas contaminadas em 2003. Devido a esse mercado que só tende a crescer e à falta de conhecimento do processo de remediação utilizando microorganismos, a Servmar Ambiental & Engenharia e o Grupo Unipetro organizaram o curso "Biorremediação Ambiental", que aconteceu no final do mês de maio, em São Paulo, SP.
Estiveram presentes m.ai.s de 200 pessoas que assistiram às palestras de Ricardo Hirata, professor e pesquisador da USP — Universidade Estadual Paulista; Murilo Damato, professor da Escola Politécnica da USP; Lúcia Regina Durrant, assessora científica da Fapesp — Fundação d Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, CNPq — Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Applied Biochemistry and Biotechnology e Enzyme Microbial Technology; Maurício Prado Alves, diretor técnico da Servmar Ambiental & Engenharia; e Dione Mari Morita, assessora da Capes — Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Fapesp e CNPq.
Com essas apresentações, procurou-se abordar diversos aspectos relacionados à biorremediação e, assim, estimular a sua adoção no país. "A proposta do curso foi divulgar a tecnologia de biorremediação, apresentando, dessa forma, efetivamente, a técnica ao mercado", disse Maurício Prado Alves, diretor técnico da Servmar Ambiental & Engenharia.
Para Elton Gloeden, engenheiro da Cetesb, este é um método que pode ser bem aproveitado no mercado brasileiro, pois o país apresenta solos e temperaturas favoráveis. "O potencial do uso da biorremediação é bastante grande", destacou. Da mesma opinião é Alves, que concluiu: "as características ecológicas e de biodiversidade do Brasil se enquadram bem no uso da biorremediação. Nós temos um solo muito rico, cheio de nutrientes, por isso acredito que se tem um local que essa técnica tenha sucesso é no Brasil".