Notícia

UOL

Biólogo brasileiro Crodowaldo Pavan morre aos 89 anos

Publicado em 03 abril 2009

O biólogo e geneticista brasileiro Crodowaldo Pavan morreu às 12h20 desta sexta-feira por insuficiência múltipla de órgãos, aos 89 anos, em São Paulo. O cientista estava internado no Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (USP) desde o dia 26 março, quando sofreu um infarto. Pavan também lutava contra um câncer de próstata.

Professor emérito da USP, Crodowaldo presidiu o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Também foi professor titular da Universidade do Texas, nos EUA, entre 1968 e 1975, e da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Pavan era pesquisador voluntário do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) e coordenador de divulgação científica do Núcleo José Reis (NJR) da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, além de presidente da Associação Brasileira de Divulgação Científica (Abradic).

Algumas de suas principais contribuições à biologia foram pesquisas nas áreas de genética de populações, citogenética e ação genética e controle biológico de pragas da agropecuária. Seus trabalhos mais recentes abordavam a ação de bactérias existentes em sementes de plantas e ovos de aves.

O professor e pesquisador é velado desde as 18h30 no Anfiteatro Acadêmico do Instituto de Biociências da USP, na Cidade Universitária. O corpo será enterrado no sábado (4) à tarde, no Cemitério Getsêmani, no Morumbi, zona oeste de São Paulo.