Notícia

O Diário (Mogi das Cruzes)

Bioenergia e Fapesp

Publicado em 12 abril 2007

Por Luis Nassif

A Fapesp está bancando investimentos em seis áreas específicas, ligadas à bioenergia. 1. Estudo da planta de cana. 2 Estudo da agricultura dessa planta. Do plantio a máquina. 3 Tecnologias industriais: ou sacarose ou celulose em etanol. 4. Uso de etanol para fazer coisas se moverem: células de combustão ou motor à explosão. 5. Bio-refinarias: alcoolquímica e 6.Temas horizontais: projetos de pesquisa em áreas como impactos econômico-sociais, questões ambientais, uso da terra.

Bioenergia e alimentos
Um dos pontos relevantes no debate sobre o avanço etanol é a questão da cadeia de produção de alimentos. A disparada no preço milho nos Estados Unidos mostra as fraquezas do modelo americano. Mais um ponto a favor do Brasil na briga pelo mercado do etanol, já que sobram áreas agriculturáveis no território nacional para a expansão de cana-de-açúcar. O governo deve explorar aspectos do gênero para fortalecer a posição brasileira na geopolítica do biocombustível.

Etanol e o carro biocombústivel
O carro biocombústivel não emplaca no EUA, onde não há — nem haverá — postos com bombas a álcool. O potencial do etanol já esta dado pelo mercado de gasolina. A briga é pelo aumento do percentual de mistura, o chamado blend. O debate envolve as montadoras de automóveis e as especificações para transformar o etanol em commodity. Com especificações claras de qualidade, o biocombústivel pode avançar mais rapidamente. Cada ponto percentual a mais na gasolina significa bilhões de litros.