Notícia

Mikami Environmental Blog

Biodiversidade/Biodiversity

Publicado em 16 agosto 2018

BIODIVERSITY (415)

Economic demography and population aging in Brazil is the theme of a seminar in DF

The United Nations Population Fund (UNFPA) and the Ministry of Planning, Development and Management will hold a seminar on "Economic Demographics and Population Aging in Brazil: Challenges and Prospects for Public Policies" in Brasília (DF) .

The objective is to reflect on the aging population and to discuss, from the diagnosis of the rapid demographic transformation of Brazil, the interrelations of this population movement with economy, planning and public policies.

The United Nations Population Fund (UNFPA) and the Ministry of Planning, Development and Management will hold a seminar on "Economic Demographics and Population Aging in Brazil: Challenges and Prospects for Public Policies" in Brasília (DF) .

The objective is to reflect on the aging population and to discuss, from the diagnosis of the rapid demographic transformation of Brazil, the interrelations of this population movement with economy, planning and public policies.

The activity takes place at the Ministry of Planning and has the support of the project "Demographic transition: opportunities and challenges to achieve ODS in Latin America and the Caribbean", of the United Nations Development Program (UNDP), coordinated by CELADE , the population division of the Economic Commission for Latin America and the Caribbean (ECLAC).

Population aging is a global phenomenon, and in developing countries such as Brazil, it has been occurring very rapidly. In developed countries, the process has been slow and has been part of the economic and political debate for decades. France, for example, needed 116 years to double its population over 65 from 7% to 14% in total. Estimates indicate that Brazil will lead, for the same movement, only 21 years.

The demographic perspectives of aging bring significant impacts to public policies. The aging process is often associated with increased expenditures on social security, health and long-term care, reduced population growth rates, stagnant productivity and reduced potential economic growth. However, it is also necessary to recognize and enhance its positive aspects, as aging is the result of significant advances in family planning and improvements in the population's living conditions.

For the UNFPA Brazil program officer in population and development, Vinícius Monteiro, the discussion on the subject is of fundamental importance for the country. "Having a good diagnosis from different perspectives allows us to anticipate the challenges related to population aging and to build policies and programs that focus on improving people's living conditions."

Open to the public, the event addresses issues such as investment in education, labor market, gender equality, fiscal adjustment and monetary policy. In addition to the organizing institutions, the seminar is attended by representatives of the Institute of Applied Economic Research (IPEA), Ministries and Secretariats of the Federal Government, World Bank, ECLAC and academia.

Registration is free upon completion of the form.

Check out the complete schedule:

9: 00-9: 30

Opening

Esteves Pedro Colnago Junior - Minister of Planning, Development and Management (tbc)

Jaime Nadal - UNFPA Representative in Brazil

Pedro Olinto - World Bank Program Leader for Brazil

9: 30-10: 45

Session 1: Population Aging, Intergenerational Transfers and National Accounts

Paulo Saad (ECLAC / CELADE)

Cassio Turra (Cedeplar / UFMG)

Debater: Luis Fernando de Lara Resende (SAE / PR)

10: 45-11: 00 Interval

11: 00-12: 30

Session 2: Investing in Education: Opportunities and Challenges for Aging

Eduardo Rios-Neto (Cedeplar / UFMG)

Sergei Soares (IPEA)

Debater: Ministry of Education (to be confirmed)

12: 30-14: 00 Interval

14: 00-15: 30

Session 3: Labor market and gender

Simone Wajnman (Cedeplar / UFMG)

Enid Rocha (DISOC / IPEA)

Debater: Carlos Alberto Ramos (UnB)

3:30 p.m.:45 p.m.

3:45 a.m.:45

Session 4: Economic Policy, Capital and Fiscal Adjustment: Perspectives on Aging

João Manoel Pinho de Mello (Ministry of Finance)

Fernando de Holanda Barbosa Filho (FGV / EPGE)

Debater: Júlio Alexandre Menezes da Silva (Secretary of Planning and Economic Affairs / MPDG)

5:15 a.m.:30

Synthesis and closure

General considerations for public policies and proposals for referrals

Jorge Arbache (Secretary of the SEAIN / MPDG)

Sent by ONU Brasil on August 15, 2018

Event discusses environmental impacts of using wood for cooking and heating

About 38% of the world's population still uses wood as the main fuel for cooking and heating the home

By Editorials - Editorials: Environmental Sciences

The Energy and Environment Institute (IEE) of USP will host the residential energy transition event on September 14: The use of firewood for cooking and its impacts, which will feature an introductory lecture followed by a roundtable discussion on the theme.

Almost three billion people, about 38% of the world's population, still use firewood as the main fuel for cooking and heating their homes. In some developing countries, more than 90% of the inhabitants rely solely on firewood, coal and agricultural residues for cooking and heating. In addition, the traditional use of firewood is generally not sustainable: it is not only inefficient in energy but also contributes to deforestation and causes air pollution indoors, which is a considerable health hazard.

It is in this context that the event aims to stimulate the debate by seeking to be an instrument for the pursuit of the Sustainable Development Objectives (ODS), in particular ODS 7, which aims to guarantee access to clean, reliable, sustainable and modern energy for all by 2030 .

Among those invited to discuss the topic are Kirk R. Smith (University of California), Alexandre Uhlig (Instituto Acende Brasil), Suani Teixeira Coelho (IEE) and José Goldemberg (IEE and Foundation for Research Support of the State of São Paulo - Fapesp ).

The event will run from 2 to 5 pm on September 14 and will be hosted at the Auditorium of the Institute of Energy and Environment. The talk and the discussion wheel will be in English, without translation. Entries must be made at this link.

With information from the Institute of Energy and Environment of USP

More information: contato@iee.usp.br

Sent by Journal of USP on August 14, 2018

*USP : University of São Paulo

(Until the next Monday, August 23, 2018)

* visit our Facebook page / visite a nossa página no Facebook

BIODIVERSIDADE (415)

Demografia econômica e envelhecimento populacional no Brasil é tema de seminário no DF

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão promovem na segunda-feira (20) em Brasília (DF) o seminário “Demografia Econômica e Envelhecimento Populacional no Brasil: Desafios e perspectivas para políticas públicas”.

O objetivo é refletir sobre o envelhecimento populacional e discutir, a partir do diagnóstico sobre da rápida transformação demográfica do Brasil, as inter-relações desse movimento populacional com economia, planejamento e políticas públicas.

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão promovem na segunda-feira (20) em Brasília (DF) o seminário “Demografia Econômica e Envelhecimento Populacional no Brasil: Desafios e perspectivas para políticas públicas”.

O objetivo é refletir sobre o envelhecimento populacional e discutir, a partir do diagnóstico sobre da rápida transformação demográfica do Brasil, as inter-relações desse movimento populacional com economia, planejamento e políticas públicas.

A atividade acontece na sede do Ministério do Planejamento e conta com o apoio do projeto “Transição demográfica: oportunidades e desafios para atingir os ODS na América Latina e no Caribe”, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), coordenado pelo CELADE, divisão de população da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

O envelhecimento populacional é um fenômeno mundial e, em países em desenvolvimento, como o Brasil, vem ocorrendo muito rapidamente. Nos países desenvolvidos, o processo ocorreu de maneira lenta e já é parte do debate econômico e político há décadas. A França, por exemplo, precisou de 116 anos para dobrar a sua população acima de 65 anos de 7% para 14% no total. Estimativas apontam que o Brasil levará, para o mesmo movimento, apenas 21 anos.

As perspectivas demográficas de envelhecimento trazem consigo impactos significativos para as políticas públicas. O processo de envelhecimento é frequentemente associado a maiores despesas com previdência social, saúde e cuidados de longa duração, à redução da taxa de crescimento populacional, à estagnação da produtividade e redução do crescimento econômico potencial. Porém, é também necessário reconhecer e potencializar os seus aspectos positivos, uma vez que o envelhecimento é fruto de avanços significativos em termos de planejamento familiar e de melhorias nas condições de vida da população.

Para o oficial de programa em população e desenvolvimento do UNFPA Brasil, Vinícius Monteiro, a discussão sobre o tema é de fundamental importância para o país. “Ter um bom diagnóstico sob diferentes perspectivas permite antecipar os desafios relacionados ao envelhecimento populacional e construir políticas e programas que tenham como foco a melhoria das condições de vida das pessoas”.

Aberto ao público, o evento aborda temas como o investimento em educação, mercado de trabalho, igualdade de gênero, ajuste fiscal e política monetária. Além das instituições organizadoras, o seminário conta com a presença de representantes do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Ministérios e Secretarias do Governo Federal, Banco Mundial, CEPAL e academia.

A inscrição é gratuita feita mediante o preenchimento do formulário.

Confira a programação completa:

9:00-9:30

Abertura

Esteves Pedro Colnago Junior – Ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (a confirmar)

Jaime Nadal – Representante do UNFPA no Brasil

Pedro Olinto – Líder de Programa do Banco Mundial para o Brasil

9:30-10:45

Sessão 1: Envelhecimento Populacional, Transferências intergeracionais e Contas Nacionais

Paulo Saad (CEPAL/CELADE)

Cassio Turra (Cedeplar/UFMG)

Debatedor: Luis Fernando de Lara Resende (SAE/PR)

10:45-11:00 Intervalo

11:00-12:30

Sessão 2: Investindo em Educação: Oportunidades e Desafios frente ao envelhecimento

Eduardo Rios-Neto (Cedeplar/UFMG)

Sergei Soares (IPEA)

Debatedor: Ministério da Educação (a confirmar)

12:30-14:00 Intervalo

14:00-15:30

Sessão 3: Mercado de trabalho e gênero

Simone Wajnman (Cedeplar/UFMG)

Enid Rocha (DISOC/IPEA)

Debatedor: Carlos Alberto Ramos (UnB)

15:30-15:45 Intervalo

15:45-17:45

Sessão 4: Política Econômica, Capital e Ajuste Fiscal: Perspectivas frente ao envelhecimento

João Manoel Pinho de Mello (Ministério da Fazenda)

Fernando de Holanda Barbosa Filho (FGV/EPGE)

Debatedor: Júlio Alexandre Menezes da Silva (Secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos/MPDG)

17:15-17:30

Sínteses e encerramento

Considerações gerais para políticas públicas e proposta de encaminhamentos

Jorge Arbache (Secretário da SEAIN/MPDG)

Enviado por ONU Brasil em 15 de Agosto, 2018

Evento discute impactos ambientais do uso da lenha para cozinhar e aquecer

Cerca de 38% da população mundial ainda utiliza lenha como principal combustível para cozinhar e aquecer o lar

Por Redação - Editorias: Ciências Ambientais

O Instituto de Energia e Ambiente (IEE) da USP realizará, no dia 14 de setembro, o evento A transição energética residencial: O uso da lenha para cocção e seus impactos, que contará com uma palestra introdutória seguida de uma roda de debate sobre o tema.

Quase três bilhões de pessoas, cerca de 38% da população mundial, ainda utilizam lenha como o principal combustível para cozinhar e aquecer suas moradias. Em alguns países em desenvolvimento, mais de 90% dos habitantes dependem exclusivamente de lenha, carvão e resíduos agrícolas para cozinhar e aquecer. Além disso, o uso tradicional de lenha geralmente não é sustentável: não é apenas ineficiente em energia como também contribui para o desmatamento e causa poluição do ar em ambientes fechados, o que é um perigo considerável para a saúde.

É nesse contexto que o evento pretende estimular o debate procurando ser instrumento para a busca dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), em particular o ODS 7, que visa a garantir o acesso à energia limpa, confiável, sustentável e moderna para todos até 2030.

Entre os convidados para debater o tema estão Kirk R. Smith (University of California), Alexandre Uhlig (Instituto Acende Brasil), Suani Teixeira Coelho (IEE) e José Goldemberg (IEE e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – Fapesp).

O evento irá das 14 às 17 horas do dia 14 de setembro e será sediado no Auditório do Instituto de Energia e Ambiente. A palestra e a roda de debate serão em inglês, sem tradução. As inscrições devem ser feitas neste link.

Com informações do Instituto de Energia e Ambiente da USP

Mais informações: contato@iee.usp.br

Enviado por Jornal da USP em 14 de Agosto, 2018

(Até a próxima Quinta-Feira, 23 de Agosto, 2018)