Notícia

Jornal de Uberaba online

Beber ou fumar em excesso traz Alzheimer mais cedo

Publicado em 30 abril 2008

Um estudo divulgado nesta quarta-feira concluiu que quem bebe ou fuma em demasia corre maior risco de desenvolver mais cedo a doença de Alzheimer do que aqueles que são moderados em qualquer das duas atividades. O resultado foi apresentado em reunião da Academia Norte-americana de Neurologia, em Chicago, segundo a Agência Fapesp. Os pesquisadores avaliaram 939 pessoas com mais de 60 anos com diagnósticos de possível ou provável para a doença e determinaram se os participantes tinham a variante A4 do gene apoE, cuja presença aumenta o risco da doença de Alzheimer - pessoas com a variante costumam desenvolver o mal antes das demais. Os cientistas verificaram que 7% dos pacientes tinham histórico de beber pesadamente (mais de dois drinques por dia). Quanto ao fumo pesado, de mais de um maço por dia, esteve presente em 20% dos participantes. Desses, 27% apresentavam a variante genética do apoE. De acordo com a Agência Fapesp, o estudo mostrou que aqueles que bebiam pesadamente desenvolveram Alzheimer em média 4,8 anos antes. Já aqueles que fumavam mais de um maço de cigarros por dia desenvolveram a doença em média 2,3 anos antes. E quem tinha a variante A4 manifestou o mal três anos antes do que os demais. As pessoas que tinham os três fatores desenvolveram a doença em média 8,5 anos antes do que quem não tinha nenhum deles. Os 17 pacientes que tinham a variante A4 e bebiam e fumavam pesadamente desenvolveram Alzheimer em uma idade média de 68,5 anos, enquanto os voluntários que não bebiam nem fumavam em excesso, nem tinham a variante genética manifestaram a doença em média aos 77 anos.