Notícia

Vale Paraibano

Baixo peso de bebês está associado ao ar poluído

Publicado em 22 setembro 2009

Estudo realizado em São José apontou que a poluição do ar está associada ao nascimento de bebês com baixo peso —até 2,5 quilos. A pesquisa foi feita por Douglas Amaral Moreira, aluno do 5o ano de Medicina da Urutau (Universidade de Taubaté), e pelo professor Luiz Fernando Costa Nascimento.

Eles analisaram dados da presença de poluentes, como o dióxido de enxofre e o ozônio, e o nascimento de 2.529 crianças em 2001. Destes, 99 bebês nasceram com menos de 2,5 kg.

"Foram quase 10 mil nascimentos no ano, mas tiramos do estudo mães com diversos fatores que poderiam causar o baixo peso. Assim, conseguimos obter resultados mais precisos", disse Moreira Ele afirmou que foram avaliadas mães de 20 a 34 anos, com o 2o grau completo, na primeira gestação, que fizeram parto normal e realizaram mais de sete consultas no pré-natal. Na pesquisa foram analisados os níveis de poluição pelos quais as grávidas foram submetidas nos últimos 90 dias de gestação —quando o feto ganha mais peso.

Os dados dos poluentes foram fornecidos pela Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental) e a pesquisa foi realizada com o apoio da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

"Os níveis de poluição da Cetesb são os mesmos para toda a cidade, mas como as mães eram saudáveis, podiam se locomover por toda São José. No geral, todas respiram o mesmo ar", disse Nascimento. O professor ressaltou que o estudo é o terceiro realizado no Brasil e o primeiro fora de capitais —os outros foram feitos no Rio de JaneIro e em São Paulo. Para ele,o incentivo ao uso" do transporte coletivo poderia diminuiria a quantidade de poluentes.