Notícia

Jornal do Brasil

Avaliação do MEC começa por 3 cursos

Publicado em 21 março 1996

Os estudantes de Direito, Engenharia e Administração de todo o país que estão terminando os cursos serão os primeiros submetidos ao Exame Nacional de Cursos do Ministério da Educação. A prova será obrigatória para os formandos das universidades públicas e particulares e ocorrerá entre 5 de outubro e 30 de novembro. Em 1997 será a vez dos alunos de Medicina. Odontologia e Veterinária. A avaliação servirá para o recredenciamento das escolas no Conselho Nacional de Educação. (Pág. 5) MEC COMEÇA EM OUTUBRO AVALIAÇÃO DAS FACULDADES Brasília - Os estudantes de direito, administração de empresas e engenharia civil de todo o país que estão concluindo o curso no final deste ano serão os primeiros a se submeterem ao Exame Nacional de Cursos que está sendo implantado pelo Ministério da Educação (MEC). A prova será obrigatória em Universidades públicas e particulares e ocorrerá entre 5 de outubro e 30 de novembro. As notas servirão para avaliar os cursos e para o recredenciamento das escolas no Conselho Nacional de Educação (CNE). No próximo ano, o exame nacional será aplicado em alunos do último ano dos cursos de veterinária, medicina e odontologia, de acordo com o cronograma montado pela Secretaria de Desenvolvimento, Informação e Avaliação Profissional do MEC. O ministro da Educação, Paulo Renato de Souza, enfrentou a resistência da União Nacional dos Estudantes (UNE) para implantar o exame. Os dirigentes da UNE alegavam que um único exame não avalia o desempenho de alunos e poderia prejudicar os formandos, já que a nota obtida poderá ser exigida em testes de admissão a futuros empregos. O MEC afirma, porém, que a nota não constará no currículo do aluno, e aquele que não conseguir, bom resultado poderá se submeter a outros exames de avaliação nos anos seguintes. "Uma única prova pode não avaliar um aluno, mas o resultado das provas de 50 alunos avalia uma escola", justifica o ministro da Educação. As notas também servirão como referência para o Conselho Nacional de Educação renovar o credencia-mento das escolas. Pelas novas orientações do MEC, a cada cinco anos as instituições de ensino superior terão que pedir o recredenciamento, o que não acontecia. De acordo com a portaria do MEC sobre o exame nacional, até junho de cada ano, o ministro da Educação, através de portaria, determinará o cronograma de provas do ano seguinte e o rol dos cursos a serem avaliados.