Notícia

Guarulhosweb

Autoridades debatem criação de APA

Publicado em 19 junho 2007

Evento acontecerá nesta quarta-feira, 20, da unidade Centro da UnG, com participação aberta aos interessados

Um dos artigos da recém-aprovada Lei de Zoneamento de Guarulhos, o projeto de criação da APA (Área de Proteção Ambiental) para a região do Cabuçu-Tanque Grande será tema de debate na próxima quarta-feira, às 19h, no Auditório C da Unidade Guarulhos-Centro da UnG. Organizada pelo deputado estadual Sebastião Almeida (PT), a iniciativa reunirá autoridades e especialistas de Guarulhos e de regiões vizinhas, entre os quais Alexandre Kise (secretário de Meio Ambiente de Guarulhos), Moacir de Souza (secretário de Desenvolvimento Urbano de Guarulhos), Jonpeter Glaeser (secretário de Meio Ambiente de Mairiporã), Antonio Veronezi (chanceler da UnG), Antonio Manoel de Oliveira (coordenador do Projeto Cabuçu e do Laboratório de Geoprocessamento da Universidade) e Rodrigo Morales (gestor da ONG Projeto Cabuçu). O evento será aberto à participação da população.

APA-Cabuçu

Fruto do Projeto Cabuçu, desenvolvido pela UnG, com apoio da Fapesp e em parceria com entidades públicas entre os anos de 2002 e 2005, e do esforço da comunidade do bairro do Cabuçu, em Guarulhos, o Artigo 41 da recém-aprovada Lei de Zoneamento da cidade (113/2006) vem de encontro com uma recente aflição brasileira: como proteger as florestas urbanas do País? Responsável por inúmeros benefícios ao homem, as florestas urbanas vêm perdendo espaço para casas, prédios e indústrias em virtude da expansão das cidades. "A maioria das capitais carece de uma política integrada e sistêmica para proteger esse importante patrimônio coletivo e, ao mesmo tempo, respaldar a recuperação do que foi destruído", diz o professor da UnG, responsável pelo Projeto Cabuçu, Antonio Manoel de Oliveira.

O Artigo 41, que se vem sendo trabalhado para se tornar um projeto de lei, propõe, entre outras diretrizes, a promoção do desenvolvimento aliado à conservação de recursos ambientais; a proteção de mananciais do Cabuçu e do Tanque Grande; a redução de transporte de sedimentos para os rios da região; e o estabelecimento de um perímetro detalhando os usos e demais parâmetros urbanísticos, propondo alternativas para as áreas ocupadas por assentamentos habitacionais. "Sabemos que a aprovação da Lei de Zoneamento não garante a APA Cabuçu-Tanque Grande, mas vamos continuar brigando até a criação de uma lei específica. Para isso, precisamos do apoio da sociedade e das entidades parceiras, entre as quais a UnG", explica o presidente da ONG Projeto Cabuçu de Desenvolvimento Local, Rodrigo Morales.

Embora a APA proposta para a região abranja cerca de 60 km², que vai do Cabuçu ao Tanque Grande, o benefício com sua implantação pode se estender a 17 mil km² e a mais de 10 milhões de habitantes da cidade de São Paulo. Isso porque o Parque da Cantareira, onde está instalado o Núcleo Cabuçu, faz parte da chamada Reserva da Biosfera Cinturão Verde da Cidade de São Paulo, que abrange 73 municípios paulistas e é protegida pela Unesco. "Essa reserva é considerada um serviço que a biosfera oferece ao homem, já que colabora para a provisão de água, conforto térmico, despoluição, captação de carbono, entre outros serviços", aponta o pesquisador da UnG. "Se algum espaço dela, por menor que seja, não for preservado, todos sentirão o impacto", completa um dos conselheiros da ONG, Osiel Bonifácio.

A ONG Projeto Cabuçu luta pela preservação ambiental da região há cinco anos. Segundo Morales, em conjunto com os pesquisadores da UnG, os cerca de 20 integrantes da entidade e a comunidade local já aprenderam muito sobre a importância da preservação.

No início deste mês a Câmara Municipal de Guarulhos promoveu três audiências públicas para discutir alguns pontos da Lei de Zoneamento. Até o fechamento dessa edição, a Câmara não havia fixado uma data para a votação da Lei, que deveria ter sido votada em dezembro de 2006.

Serviço

Debate: Criação da APA Cabuçu-Tanque Grande

Data e horário: dia 20/06, às 19h

Local: Auditório C da Unidade Guarulhos-Centro da UnG, Praça Tereza Cristina, 1, Centro