Notícia

Diário de Natal

Australianos ganham Nobel de Medicina

Publicado em 05 outubro 2005

Por mostrarem que uma bactéria — e não o estresse — é a principal causa de úlceras no estômago e no duodeno, os australianos Barry J. Marshall, 54 anos, e Robin Warren, 68 anos, foram anunciados os ganhadores do Prêmio Nobel de Medicina de 2005.
O estudo levou à descoberta da bactéria Helicobacter pylori e de seu papel na doença que ataca homens, mulheres e crianças. A descoberta, em 1982, permitiu uma cura rápida, por meio do uso de antibióticos. \"O trabalho foi feito contra o conhecimento e o dogma então dominantes, de que a úlcera seria resultado do estresse e do estilo de vida do paciente", disse Staffan Normark, membro da comissão do Nobel no Instituto Karolinska, na Suécia, responsável pela organização da premiação, em coletiva de imprensa na segunda-feira (03/10).
Para provar a veracidade da descoberta, Marshall chegou até mesmo a se infectar de propósito com a bactéria, mostrando que ela provoca uma inflamação que pode levar à úlcera. Hoje se sabe que a Helicobacter pylori causa 90% das úlceras duodenais e 80% das gástricas.
Marshall e Warren receberão um cheque de 10 milhões de coroas (cerca de R$ 3 milhões), diploma e medalha de ouro do rei Carl Gustaf, da Suécia, em cerimônia em Estocolmo no dia 10 de dezembro.
O Instituto Karolinska divulga nesta terça-feira (4/10) o Nobel de Física, no dia seguinte o da Química, e na sexta-feira o da Paz. Os prêmios de Literatura e Economia devem ser anunciados na semana que vem.
Agência Fapesp