Notícia

UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

Atlas de Imigrações ganha banco de dados interativo

Publicado em 18 abril 2018

Por Valério Paiva

Pesquisadores do Núcleo de Estudos da População 'Elza Berquó' (Nepo) lançaram um banco interativo online com as informações do Atlas Temático Observatório das Migrações - Migrações Internacionais. O banco de dados está hospedado no site do Nepo e faz parte do projeto Observatório das Migrações em São Paulo, que conta com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

A elaboração do atlas é parte das atividades da Unicamp ligadas à Cátedra Sérgio Vieira de Mello, iniciativa da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) para promover educação, pesquisa e extensão acadêmica voltada à população em condição de refúgio.

O banco interativo traz os dados levantados no Atlas do Observatório das Migrações, com uma compilação de diferentes fontes sobre dados referentes aos imigrantes que chegaram ao Estado de São Paulo nos últimos anos. O atlas e o banco interativo facilitam o acesso a esses dados, explorando a potencialidade dos dados de cada fonte.

Entre as base de dados consultadas para a elaboração do Atlas estão Censo demográfico do Brasil de 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Censo da Educação Básica 2017, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), e a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), do Ministério do Trabalho de 2016. As informações de cada base foram tabuladas pelos pesquisadores do Observatório das Migrações.

A criação do Banco Interativo do Observatório das Migrações Internacionais foi coordenada pelas pesquisadoras Natália Belmonte Demétrio (Nepo), Joice de Oliveira Santos Domeniconi (Observatório das Migrações em São Paulo) e pelo estudante da graduação em geografia Luis Felipe Foiadelli. A elaboração do banco de dados contou com o apoio da Diretoria Executiva de Planejamento Integrado (Depi) da Unicamp, por meio do professor Marco Aurélio Pinheiro Lima e dos técnicos Vanderlei Braga e Marcelo Albieri.

As informações disponibilizadas no banco interativo acabam tendo foco nos municípios, apresentando um perfil dos imigrantes especificado de cada região. "Esperamos que essas informações possam ser traduzias em subsídios para que gestores municipais, estaduais e federais utilizem sobre a dinâmica das migrações e perfil desses migrantes para implementar politicas sociais”, avalia Rosana Baeninger, pesquisadora do Nepo e coordenadora do projeto do Observatório das Migrações.

Para Rosana Baeninger, essa iniciativa permite reforçar o papel da universidade em dialogar com as demandas da sociedade. “Embora consigamos explicar as migrações por processos que ocorrem no âmbito global, o desafio se impõe na politica local. O atlas consegue trazer ao gestor dados sobre diferentes modalidades de migração, como a qualificada, os de menor qualificação, e a migração de refugiados. Isso é importante para que o gestor possa se munir de politicas sociais e antever processos que podem ocorrer nos próximos anos”.

O atlas interativo permite trabalhar com bases de dados mais atualizados do que na versão impressa, pois sua atualização poderá ser feita a partir de cada base de dados divulgada. Dessa forma os pesquisadores e gestores poderão acompanhar as tendências de migração, tanto para estudos acadêmicos e metodológicos, quanto para subsidiar a criação de politicas publicas locais.

Saiba mais:

Banco de dados interativo do Atlas Temático Observatório das Migrações - Migrações Internacionais

As novas faces das migrações internacionais

Cátedra Sérgio Vieira de Mello