Notícia

Diário do Rio Claro online

Aterro vira sala de aula de pós-graduandos da Unesp

Publicado em 26 abril 2018

Alunos do curso de pós-graduação do Programa de Geociências e Meio Ambiente da Unesp Rio Claro participaram de uma aula no Aterro Sanitário Rio Claro nessa terça-feira (23), orientados pelo professor Marcus César Avezum Alves de Castro, que ministra a disciplina de Gestão de Resíduos – tratamento e disposição final. O docente acompanha o aterro desde 2010, onde desenvolveu trabalho de pesquisa da Fapesp.

O professor Marcus explicou o processo de planejamento de um aterro, suas estruturas de drenagem, tratamento de lixiviados (chorume), aterramento, alteamento da unidade, além da decomposição dos resíduos aterrados, que produzem metano.

Os alunos fizeram análises do percentual de metano produzido no aterro em oito pontos, o que indica o potencial de geração de energia elétrica na unidade, em cromatógrafo de gases portátil. Os resultados podem ainda definir a idade dos resíduos, além de dar outras informações importantes sobre a unidade.

André Alberto Angra Rocha, engenheiro da Sustentare Saneamento, empresa que administra o Aterro Rio Claro, acompanhou a visita e explicou o funcionamento da unidade, que tem nota 8,8 de qualidade da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).

“O Aterro é obra de engenharia ambiental muito dinâmica, que reúne diversos variáveis que precisam ser adequadamente monitoradas e controladas para que funcione corretamente. Além disso, para futuros profissionais, uma visita dessas é a oportunidade de trazer a teoria para a prática de forma muito mais interessante e construtiva, por isso estamos sempre de portas abertas para os interessados em visitar e entender nosso trabalho”, diz o engenheiro Rocha.

O Aterro Sanitário Rio Claro recebe, em média por dia, 200 toneladas de resíduos domésticos para disposição final seguindo as normas ambientais. Além disso, a unidade também conta com uma Estação de Tratamento de Chorume.