Notícia

Revista D+ online

Atenção jovens: perda auditiva na adolescência é cada vez mais comum

Publicado em 08 agosto 2017

A vida de muitos adolescentes pode ser considerada muito agitada. Festas, baladas e shows estão dentro desse tópico. Os ambientes, que misturam sons de todos os níveis e por todos os lados, são muito prejudiciais à audição. Mesmo os mais jovens já sofrem os efeitos do barulho em excesso. Outra grande preocupação vem do uso diário e inadequado dos fones de ouvido, em um nível sonoro acima do recomendado; um ataque direto à saúde auditiva.

Cerca de 170 adolescentes realizaram testes auditivos na faixa etária de 11 a 17 anos e revelaram resultados que surpreendem. Feito por pesquisadores da Associação de Pesquisa Interdisciplinar e Divulgação do Zumbido (Apidiz), da Faculdade de Medicina da USP, com apoio da Fapesp, o estudo incluiu também um questionário no qual os adolescentes responderam se ouviam zumbido nos ouvidos e qual a intensidade, duração e frequência. Mais da metade dos jovens (54,7%) respondeu que, nos últimos 12 meses, perceberam tal ruído.

Destes, 51% disseram que ouviram zumbido logo após usar fone de ouvido por muito tempo ou ao saírem de um ambiente muito barulhento. Já os testes auditivos revelaram que 28,8% dos adolescentes ouvem zumbido em níveis comparados aos de adultos. O mais alarmante é que esses jovens disseram não se incomodar com o ruído e, por conta disso, não relataram o problema aos pais, nem procuraram ajuda médica.

Os primeiros sinais de perda auditiva podem vir com o zumbido, chamado Tinnitus, em um ou nos dois ouvidos, que podem causar efeitos dramáticos. A maioria fica atordoada, uma vez que o mal interfere no sono, na concentração, na comunicação e na capacidade de relaxar. Nos adolescentes o incômodo provocado pelo zumbido pode também afetar os estudos, causando prejuízos imensos. Entre os adolescentes, o fator principal que provoca o zumbido é o uso frequente de fones de ouvidos em níveis sonoros elevados.

A fonoaudióloga Isabela Carvalho, da Telex Soluções Auditivas lembra que o problema relacionado ao uso de fones de ouvidos está ligado ao volume e ao tempo diário em contato com o ruído. “A exposição ao som intenso e frequente acima de 85 decibéis pode provocar danos irreversíveis à audição com o passar do tempo”.

Para tratar pacientes com zumbido, a Telex Soluções Auditivas lançou no Brasil os aparelhos da linha H, como o discreto modelo miniRITE. Além do design moderno, vem com a tecnologia Tinnitus SoundSupport, que oferece um grande número de opções de controle e de sons – como os do oceano – para que cada pessoa possa personalizar os sons que lhe trarão alívio, de acordo com a sua necessidade. O miniRITE é também resistente à água.

Além das próteses específicas para quem tem zumbido, há no mercado uma diversidade de modelos de aparelhos auditivos, como os da Telex, que se acomodam de forma confortável no ouvido, preservando a vaidade tão acentuada entre os jovens.