Notícia

CNN (Brasil)

Até 2050, eventos climáticos extremos serão corriqueiros, alerta Inpe

Publicado em 13 julho 2021

Por Amanda Garcia, da CNN Rádio

Um estudo da Fapesp apontou que as secas na América do Sul podem aumentar até o fim do século. Segundo o pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Lincoln Muniz Alves, que é o coautor do artigo, eventos climáticos extremos como esse serão cada vez mais frequentes.

Em entrevista à CNN nesta terça-feira (13), ele disse que o levantamento mostra que a mudança climática é uma realidade.

“Isso está relacionado a emissões de gases estufa, olhando o planeta como um todo, mas no caso da América do Sul e do Brasil, também há impactos relacionados ao desmatamento, de alguma maneira afeta o equilíbrio hídrico do planeta”, explicou.

Segundo Lincoln, “o que mais assusta é o aumento da frequência e intensidade” dos eventos extremos. “Essa seca no Sudeste, que vimos também em 2014 e 2015, está cada vez mais frequente, uma das principais conclusões é saber que em um futuro próximo, independente do cenário de mais ou menos emissões, esses recordes quebrados de altas temperaturas e eventos extremos poderão virar eventos corriqueiros.”

“E não é no horizonte tão longo, até 2050, se os países não conseguirem mitigar as emissões com o Acordo de Paris, altas temperaturas, enchentes e secas vão acontecer com mais frequência”, completou.

De acordo com o pesquisador, uma mudança neste quadro só será possível se os países se comprometerem a mitigar as emissões de gases, com políticas públicas.