Notícia

SnifBrasil

AstraZeneca e FAPESP assinam acordo para investimento de até US$ 2 milhões, cada, em pesquisa sobre doenças cardiovasculares e metabólicas

Publicado em 23 março 2015

A AstraZeneca,  por meio da MedImmune – unidade de pesquisa e desenvolvimento de produtos biológicos da empresa, e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), divulgaram a assinatura de um Acordo de Cooperação Científica e Tecnológica e o lançamento da primeira Chamada de Propostas para apoio de projetos na área de Medicina Cardiometabólica.

O acordo prevê investimentos de até US$ 4 milhões ao longo de cinco anos em projetos de pesquisa científica e tecnológica voltados para o tratamento da obesidade e sobre as vias de regulação do apetite, doenças renais crônicas e em pacientes diabéticos, ocorrência de diabetes após cirurgia gastrointestinal e resistência à insulina, entre outros.

A primeira Chamada de Propostas irá disponibilizar até US$ 2,4 milhões para o desenvolvimento de projetos pelo prazo máximo de 36 meses. Pesquisadores ligados à instituições de pesquisa em São Paulo e à empresas poderão apresentar propostas em colaboração até 26 de junho. A divulgação dos projetos selecionados está prevista para 7 de outubro.

“O acordo permite à FAPESP oferecer mais oportunidades para apoio à pesquisas ligadas à aplicações e em colaboração com empresas. A AstraZeneca, especificamente, tem um grande esforço interno de pesquisa e sua busca por parcerias em São Paulo destaca e valoriza a capacidade do sistema científico paulista para estabelecer colaborações em pesquisa com empresas”, diz Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP.

As pesquisas deverão criar e explorar conhecimento e novas tecnologias que possam ser aplicadas em benefício da sociedade, envolvendo necessidades na área médica ainda não atendidas e contribuir para a formação de pesquisadores. A parceria demonstra o comprometimento da AstraZeneca com o Brasil e sua prioridade em liderança científica e a missão da FAPESP de investir no avanço do conhecimento em todas as áreas da ciência.

“A AstraZeneca vem constantemente promovendo e apoiando ações que visam o incentivo da ciência no Brasil, como a recém parceria com o programa Ciência sem Fronteiras e a vinda do ganhador do Prêmio Nobel de Química, Martin Chalfie, em 2014”, afirma Jorge Mazzei, Diretor-Executivo de Assuntos Governamentais e Negócios.