Notícia

Jornal da Tarde

As novas descobertas sobre o DNA

Publicado em 15 agosto 1999

Por Juliana Lopes
A TV Cultura vai mostrar, a partir de amanhã, a trajetória da repórter que mostrou lugares freqüentados apenas por cientistas ocupados em fazer um inventário da vida, estudando o DNA. E "traduziu" para os leigos telespectadores a árida linguagem dos laboratórios. Mônica Teixeira documentou cada passo de sua jornada. "Um dos pesquisadores sempre comentava que o estudo do DNA, área chamada de 'genômica', era uma festa para a qual os brasileiros não foram convidados. Mesmo assim eles entraram pela porta da frente", comenta a repórter, que confirma a rapidez com que os cientistas do Brasil se inteiraram no assunto. Dirigido e editado por Nelson Perez e realizado pelo Núcleo de Documentários Especiais da TV Cultura, Genoma, Em Busca dos Sonhos da Ciência mostra as maravilhas que podem ser feitas assim que o DNA, incluído o humano, for inteiramente dissecado. A cura do câncer, por exemplo. Para que tudo isso seja possível, é imprescindível a união entre biólogos e experts em computadores, o que o documentário mostra com primor. A quantidade de imagens e informações captadas foi tão grande que o documentário Genoma rendeu cinco episódios - que irão ao ar nesta semana, sempre das 21h às 21h30. Comportamento humano Foi num almoço com o diretor científico José Fernando Perez, responsável pelo projeto da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), que surgiu a possibilidade de Mônica Teixeira fazer o documentário pela TV Cultura. Ela já trabalha na emissora desde o ano passado, apresentando o Opinião Nacional. Seu currículo, portanto, não se restringe aos avanços científicos. Produziu matérias para o Fantástico - como a entrevista na prisão com Cabo Bruno - e levou três tiros quando cobria, pelo SBT, a manifestação dos sem-terra no Pontal do Paranapanema. "Acho que não importa o assunto. Reportagem é reportagem", fala Mônica, que sempre teve inclinação para o estudo da biologia - também foi editora da revista Globo Ciência. "Estudo biologia molecular mas também psicanálise, porque quero entender o comportamento humano", complementa a jornalista, que ainda deve fazer um programa sobre o assunto. "A Cultura quer enfatizar a questão do DNA na programação, até mesmo no jornalismo." Corrida disputada A grande preocupação dos biólogos brasileiros era correr atrás da revolução biotecnológica, que acontece principalmente nos Estados Unidos e na Inglaterra. Desta idéia, surgiu o projeto patrocinado pela Fapesp, o programa Genoma/Fapesp. O gancho principal para as pesquisas foi a necessidade de entender o DNA da bactéria Xyllela fastidiosa, causadora da doença chamada de Amarelinho, um tormento para os agricultores: cerca de 30% dos laranjais brasileiros já foram totalmente destruídos. Deste projeto já nasceram outros dois: um pretende descobrir o DNA da cana-de-açúcar e outro, mais ousado, se chama Genoma Câncer e pode revolucionar a medicina.