Notícia

O Estado de S. Paulo

As fronteiras móveis do urbano e do rural

Publicado em 09 dezembro 2001

Por LOURIVAL SANT'ANNA
SALESÓPOLIS - Seu Otávio abre a porta de ferro e a luz que entra na antiga fábrica de fogos de artifícios revela um mundo de figuras que ele talhou na madeira. Nascido há 63 anos na pequena Gandu, na zona cacaueira, Otávio Barros de Souza era lenhador até dez anos atrás. Percorreu a Bahia, Espírito Santo, Minas, São Paulo e até Rondônia cortando árvore. Deixou de ser lenhador e virou artista no dia em que olhou para uma raiz no chão e viu um bicho. "Tirei de lá um tamanduá." Nas noites que se seguiram, seu Otávio pegou o [...]

Conteúdo na íntegra disponível para assinantes do veículo.