Notícia

Jornal Cidade (Rio Claro, SP) online

Ary Fossen recebe prefeito de São Roque

Publicado em 13 agosto 2007

Durante a visita, os prefeitos discutiram o projeto SP Vinho, que visa a retomada da produção do vinho tendo o Estado na liderança do setor

O prefeito Ary Fossen recebeu na manhã desta sexta-feira (10), o chefe do Executivo do município de São Roque, Efaneu Nolasco Godinho. Na ocasião, foi discutido o projeto SP Vinho, que tem como proposta a retomada da produção do vinho em São Paulo em níveis que coloquem o Estado na liderança do setor. A iniciativa foi recém-criada pelo Sindicato dos Vitivinicultores de Jundiaí e São Roque, em parceria com a Secretaria de Estado da Agricultura e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP).

Atualmente, o Brasil produz 350 milhões de litros de vinho. O Estado de São Paulo engarrafa e vende 40% deste montante, o que demonstra que possui potencial para competir com o mercado produtor de vinho. O Projeto SP Vinho reúne a iniciativa pública e privada, visa criar uma base própria para que todo o Estado também possa produzir.

Os representantes das indústrias do vinho buscam parceria para obter recursos junto ao Governo de Estado e investir em pesquisa. "Com o dinamismo do prefeito de São Roque e a força política do prefeito de Jundiaí poderemos envolver todo o Estado de São Paulo no projeto SP Vinho", explica Adriana Renata Verdi, representante do Instituto Econômico de Agricultura (IEA). Ary Fossen deve encaminhar ao secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Alberto Goldman, o resultado obtido na primeira etapa do SP Vinho e, posteriormente, intermediar um encontro entre o Estado, municípios e entidades envolvidos neste projeto. "Sempre apoiaremos uma iniciativa que dinamiza a economia local, preserva a natureza e controla a proliferação dos produtores clandestinos", conclui o prefeito.

O Projeto SP Vinho - O SP Vinho é financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - FAPESP - que já investiu R$ 300 mil. Composto por três fases, a primeira etapa foi concluída em fevereiro de 2007 e apresentada durante um workshop realizado em São Roque, que divulgou e atualizou o cadastro de produtores de uva e vinho; definiu os elos básicos da cadeia produtiva: viveiro de mudas, produtor de uva e produtor de vinho; elaborou um questionário minucioso para definir o perfil dos produtores, o processo produtivo, as necessidades de cada vinicultor e viticultor. O intuito é identificar o trajeto da fruta desde o parreiral até a comercialização do vinho.

O SP Vinho é desenvolvido por uma equipe de 16 pesquisadores de cinco instituições: coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e três institutos da Agência Paulista de Tecnologias do Agronegócio (APTA), o Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), o Instituto Agronômico de Campinas (IAC), mais o IEA. A ação também tem o apoio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP).

A segunda fase do projeto tem prazo de dois anos para diagnosticar os elos básicos da cadeia vitivinícola. Os estudos servirão para definir, inclusive, encaminhamentos de políticas para o setor. A terceira e última etapa será a aplicação pelas prefeituras que são parceiras do projeto. "Este é um momento oportuno para o desenvolvimento do SP Vinho, porque existe um interesse crescente pelo tema, seja no consumo do vinho ou nos aspectos de lazer e turismo que a indústria vitivinícola proporciona", comentou o prefeito de São Roque, Efaneu Nolasco Godinho.

Participou do encontro ainda o representante do Sindicato da Indústria de Vinho de São Roque, Cláudio José de Góes; os representantes do Sindicato da Indústria do Vinho de Jundiaí, José Roberto Belesso, Luiz Antonio Passarin, Railson Vieira Loures, o secretário de Abastecimento e Agricultura, Domingos Fonte Basso e o diretor de Turismo, Renê Tomazzeto.