Notícia

Jornal Já

Arte como Ciência apresenta “Infância e cena contemporânea” com Melissa Ferreira

Publicado em 01 outubro 2021

O projeto Arte como Ciência segue investigando a relação entre o universo infantil e a cena. O assunto já foi abordado no especial de janeiro, por artistas-cientistas de oito países e, em fevereiro, pelo pesquisador cubano Luvel García Leyva. Em outubro, o projeto convida a artista, pesquisadora e professora na área das artes cênicas Melissa Ferreira para falar sobre Infância e Cena Contemporânea. A live acontece no dia 05 de outubro, às 14:30, com transmissão pelo youtube no canal do projeto e integra a programação do Simpósio Internacional – Artes da Cena e Infâncias: Crianças como performers, organizado por Melissa.

Autora do livro Isto não é um ator: O teatro da Socìetas Raffaello Sanzio (Perspectiva, 2016), ela, atualmente, desenvolve o projeto de pós-doutorado “Presenças da Infância na Cena Contemporânea” no Instituto de Artes da Unicamp e no Martin E. Segal Theatre Center da City University of New York com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

Para Melissa, a prática artística está integrada às suas pesquisas acadêmicas em projetos que promovem parcerias criativas entre crianças e artistas e em performances autobiográficas nas quais apura a própria infância.

Melissa Ferreira. Autorretrato/ Divulgação

Ela examina processos criativos, espetáculos teatrais, performances e programas formativos com o objetivo de entender as implicações políticas, estéticas e éticas da participação de crianças em práticas artísticas contemporâneas. “O reconhecimento de que são produzidos saberes específicos em experiências artísticas com crianças pode revelar caminhos para a consolidação das pesquisas em artes, nas quais os movimentos criativos são parte da análise e para a renovação das concepções de educação e de formação em outras áreas do conhecimento”, afirma.

O Simpósio Internacional ‘Artes da Cena e Infâncias: Crianças como Performers’ acontece de forma online nos dias 05, 07, 13 e 20, 27 de outubro e 04 de novembro de 2021. O evento, coordenado por Melissa, é uma iniciativa do Laboratório de Atuação e Saberes da Prática e do Programa de Pós-graduação em Artes da Cena do Instituto de Artes da Unicamp. Por meio de palestras e encontros com artistas, o Simpósio estimulará reflexões sobre a participação de crianças como performers e colaboradoras na cena teatral contemporânea.

Sobre a entrevistada:

Melissa Ferreira é diretora teatral, performer, pesquisadora e docente na área das artes cênicas. Autora do livro “Isto não é um ator – O teatro da Socìetas Raffaello Sanzio” publicado pela editora Perspectiva em 2016. É doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Teatro da Universidade do Estado de Santa Catarina, com residência de pesquisa na sede da companhia Socìetas Raffaello Sanzio, em Cesena, na Itália. Mestre em Teatro e graduada em Artes Cênicas pela UDESC. Integrante dos seguintes grupos de pesquisa (CNPq): “Percursos de Performatividade: Mediterrâneo, África, Américas” (UDESC), “Pedagogia do Teatro” (UDESC) e “Os processos criativos nas artes da cena e os saberes da prática” (UNICAMP). Como artista, participou de festivais no Brasil, Itália, Alemanha e Costa Rica. Atua principalmente nas seguintes áreas: pedagogia do ator, do teatro e da performance, direção teatral e produção cultural. Foi professora do Departamento de Artes Cênicas da UDESC de 2009 a 2017. Fez estágio pós-doutoral no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal de Ouro Preto, de 2015 a 2018, com bolsa CAPES. Em 2019-2020 fez estágio de pesquisa no Martin E. Segal Theatre Center, na City University of New York (CUNY), como parte do pós-doutorado no Programa de Pós-graduação em Artes da Cena da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), com o projeto “Presenças da infância na cena contemporânea”, com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

Serviço:

Arte como Ciência | Episódio 09

Episódio do Arte como Ciência em parceria com o CBTIJ/ASSITEJ Brasil e participação de Melissa Ferreira.

Data: 05 de outubro de 2021 | terça-feira | 14:30 (BRT)

Locais: Canal artecomociencia no youtube – via endereço ->https://youtu.be/x8rk4ebzfIk

Página do Facebook Arte como ciência – via endereço -> https://www.facebook.com/artecomociencia/videos/

Breve histórico do projeto:

Arte como Ciência surgiu em 2020, durante a pandemia da COVID-19, para discutir o papel social da arte por meio de diálogos entre profissionais que realizam seu trabalho na articulação da criação artística com reflexões sobre como a especificidade da arte apoia ou transforma as estruturas sociais. A idealização pedagógica foi criada por Viviane Juguero, com base em teorias e práticas desenvolvidas por ela através de seu trabalho artístico e acadêmico. A coordenação técnica do projeto é liderada pela produtora, artista e pesquisadora acadêmica Daniela Israel. Além disso, o artista e pesquisador Cleiton Echeveste coordena a equipe de tradução solidária, devido ao caráter internacional do projeto, além de representar o CBTIJ/ASSITEJ Brasil, relevante parceiro do projeto.

Em 2020, foram apresentados quatro episódios – o lançamento da proposta do projeto, com profissionais de diversos países, além de novas entrevistas com Jessé Oliveira e Richard Serraria, do Brasil, e Kathy Perkins, dos EUA. Em 2021, o projeto apresentou, em parceria com a CBTIJ/ASSITEJ Brasil, o debate virtual “Arte para Crianças e Jovens” com Clarissa Malheiros (México), Idris Goodwin (EUA), Jerry Adesewo (Nigéria), María Inés Falconi (Argentina), Imran Khan (Índia) e Yuck Miranda (Moçambique), com mediação de Viviane Juguero (Brasil/Noruega). Ainda, sobre criança e arte, foi produzida uma entrevista com o pesquisador cubano Luvel García Leyva. Em agosto, a entrevista mais recente foi com Dedy Ricardo, que falou sobre Drama e Cultura Negra na Educação Básica.

Em 2021, destacamos a realização da série especial Arte como Ciência: Raízes que reverencia e reflete sobre a relevância da trajetória profissional de importantes nomes da cultura gaúcha com mais de sessenta anos e oriundos de grupos sociais desfavorecidos: Vera Lopes, Mestre Pernambuco, Irene Santos, Zé da Terreira e Seli Maurício. Essa série incluiu a produção de webdocumentários sobre o trabalho de cada artista e mesas redondas virtuais, compostas por especialistas em cada tema central. Detalhes sobre a proposta e links para todos os vídeos estão disponíveis no site artecomociencia.com.

Nossos canais de comunicação:

Site oficial: https://www.artecomociencia.com/

Canal no Youtube: artecomociencia

Instagram: @artecomociencia | https://www.instagram.com/artecomociencia/

Facebook: /artecomociencia

.

.

.

.

.