Notícia

Jornal de Piracicaba

Arborização terá novas regras

Publicado em 11 dezembro 2006

A Câmara de Piracicaba aprovou na última quinta-feira, em primeira discussão, um projeto de lei complementar, que prevê novas regras para a arborização no município. Um dos principais pontos é a determinação de um prazo de 90 dias para que a Prefeitura de Piracicaba apresente um plano diretor, que apontará as diretrizes do manejo de árvores para a próxima década.
O projeto de lei, de iniciativa do Poder Executivo, foi aprovado por unanimidade e deverá voltar para o plenário nas próximas semanas para aprovação final. Antes de votarem, os vereadores assistiram uma apresentação do professor do Departamento de Ciências Florestais da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) Demóstenes Ferreira da Silva Filho, um dos técnicos que auxiliaram na composição da lei.
Silva Filho afirmou que as atualizações foram necessárias porque a legislação anterior era facilitadora dos processos de corte, poda e substituição de árvore. "A legislação anterior passou por algumas atualizações, mas boa parte do conteúdo tem mais de 15 anos. Naquela época os conceitos utilizados para arborização eram outros", disse.
Segundo o professor, na época em que a lei entrou em vigor, o município tinha "árvores demais". "Piracicaba era um dos municípios com maior plantio de sibipiruna. Com o passar dos anos essas árvores foram cortadas e hoje o problema é justamente a falta delas", disse. De acordo com o especialista, outro novo conceito dessa lei é a determinação que os equipamentos urbanos devem adaptar-se às árvores e não ao contrário.
Um estudo feito pela Esalq e financiado pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) mostrou que Piracicaba conta com poucos bairros bem arborizados. Entre eles destacam-se Chácara Narazeth, Nova Piracicaba, Cidade Jardim e Santa Rita. Entre um dos bairros com pior índice de arborização está o Jardim Monumento. "Muita árvore não quer dizer boa arborização", disse. De acordo com o professor, devem ser priorizados os plantios de espécie de médio e grande porte em detrimento de arbustos.