Notícia

Feed & Food online

APTA capta R$ 76,5 milhões em recursos externos ao longo de 2017

Publicado em 22 janeiro 2018

Em 2017, a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) e suas unidades captaram junto a instituições externas o total de R$ 76.522.383,66. Em 2016, o valor foi de R$ 71.595.810,74. O salto de 1,5% do total de recursos externos (R$ 4.926.572,92 a mais) se deve ao aumento de 1% na captação de recursos privados – que em 2017 representou 21% do total do orçamento – e de 0,5% nos projetos com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

“Ano a ano a APTA mostra sua capacidade de captação de recursos privados e o desenvolvimento de projetos em conjunto com o setor de produção. Nossa expectativa é que este número suba para 25% em 2018”, afirma o coordenador da agência, Orlando Melo de Castro.

De acordo com ele, a previsão de aumento se deve à nova legislação federal e estadual para fomentar a inovação tecnológica, como o Marco Legal de Ciência e Tecnologia e sua regulamentação em São Paulo, além de resolução da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA, São Paulo/SP) de março de 2016 que aprovou a Política de Propriedade Intelectual das instituições científicas e tecnológicas ligadas à pasta.

Também são destaques no orçamento da Agência o aumento de 0,5% na captação de recursos junto à Fapesp. Em 2016, as unidades de pesquisa ligadas à APTA receberam R$ 6.024.582,31 da Fapesp, valor que saltou em 2017 para R$ 7.719.978,66.

Segundo Castro, a diversificação do orçamento é fundamental, principalmente em momentos como o de crise, em que vive o Brasil: “Isso não significa a privatização da pesquisa. Estar junto do setor de produção garante mais dinamismo aos trabalhos e é uma forma de as tecnologias chegarem de forma rápida aos produtores e empresas e serem por eles incorporadas. Neste modelo, ganham as instituições, os produtores, as empresas e toda a sociedade”.

Recursos públicos. Os dados da APTA também apontam para um aumento de investimentos pelo Governo do Estado nos institutos. Em 2016, foram investidos R$ 476.665,77. Em 2017, esse número saltou para R$ 3.009.535,32. Os recursos foram investidos principalmente em obras e reformas de infraestrutura, tratores e máquinas agrícolas e equipamentos de laboratório e informática, importantes para manter a infraestrutura de pesquisa e de prestação de serviços laboratoriais.

O secretário da SAA, Arnaldo Jardim, afirma que os números reforçam o compromisso da APTA e suas unidades de pesquisa com a inovação tecnológica e o desenvolvimento de projetos em conjunto com o setor de produção, para melhorar o agronegócio paulista e brasileiro. “Mostra também a capacidade do Governo do Estado, que mesmo em um momento de crise financeira aumentou os investimentos nas instituições e abriu concurso para a contratação de 33 pesquisadores científicos, além de servidores de apoio técnico e administrativo”, diz.

Fonte: APTA, adaptado pela equipe feed&food.