Notícia

Folha de Rondônia online

Apresentação da SBPC em Rondônia

Publicado em 06 setembro 2006

A criação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Rondônia foi um dos assuntos que trouxeram a Porto Velho, na última segunda-feira, o professor-doutor Enio Candotti, físico, professor da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Com o reitor Ene Glória da Silveira e professores da Unir — Universidade Federal de Rondônia —, além de pesquisadores ligados a várias instituições de pesquisa do Estado, Candotti discutiu também a criação da representação regional da SBPC, a ser sediada na capital rondoniense.

Candotti disse que esteve várias vezes em Porto Velho para tratar da criação da Fundação de Amparo à Pesquisa local. "As conversações começaram com o então governador Osvaldo Piana, em 1990, visto que a participação do Estado na criação e manutenção da entidade é fundamental. Na época, o governador garantiu apoio, mas o problema residia no fato de a Unir contar com apenas cinco doutores no seu quadro. Agora é diferente, pois a universidade tem 156 doutores e o Estado tem muitos cientistas ligados a várias instituições de pesquisa".

Vital

Para o reitor da Unir, Ene Glória, "a criação da Fundação de Amparo à Pesquisa é vital para o desenvolvimento da ciência e tecnologia em Rondônia. Ela vai viabilizar projetos em nível estadual para alavancar o crescimento sócio-econômico e ambiental do Estado, a exemplo do que acontece em São Paulo com a Fapesp e no Rio de Janeiro com a Faperj. Além disso, a Fundação vai dotar o Estado de condições para compor projetos de ciência e tecnologia e apresenta-los aos fundos setorias para captação de recursos. Sem a Fundação é impossível avançar e concorrer com projetos para captar recursos. A comunidade científica da Unir, do Estado e da área da educação apóia incondicionalmente essa iniciativa.