Notícia

IDEC

Antidepressivo e suicídio de adultos

Publicado em 03 outubro 2005

Adultos que tomam antidepressivo à base de paroxetina (Aropax, Cebrilin, Pondera e Roxetin) apresentaram um risco maior de tentar suicídio do que aqueles que não tomavam esse fármaco. Atualmente indicado para cerca de 20 milhões de pessoas no mundo todo. Com base nessa conclusão, pesquisadores noruegueses sugerem que a recomendação de restringir o uso deste fármaco em crianças e adolescentes inclua também adultos.
Ivr Aursnes e sua equipe da Universidade de Oslo analisaram os testes feitos com paroxetina e encontraram 7 tentativas de suicídio no grupo de 916 adultos que tomavam este antidepressivo e 1 entre os 550 que haviam tomado o placebo.
Em fevereiro, David Grunnell, da Universidade de Bristol, Inglaterra, havia alertado sobre o risco mais elevado de comportamento suicida entre as pessoas que tomavam antidepressivos inibidores da recaptação da serotonina (SSRIs), o mesmo grupo da fluoxetina (Prozac, Daforin, Deprax, Depress, Eufor, Fluxene, Neofluoxetin, Nortec, Prozen, Psiquial, Verotina e Fluoxetin) mas sem avaliar especificamente a paroxetina.
O grupo de Oslo confirmou: todos os antidepressivos tipo SSRIs aumentam as tentativas de suicídio em adultos deprimidos.  

Revista Pesquisa Fapesp