Notícia

Jornal do Commercio (PE)

Ano será mais verde, móvel e convergente

Publicado em 30 dezembro 2009

Previsões apontam mais investimentos em tecnologias que preservam a natureza e facilitam a integração de dados e a mobilidade do usuário

De acordo com a astrologia, o planeta regente de 2010 será Vênus. Ainda no começo do ano, o astro acompanhará o Sol no signo de Aquário, quando passará a receber a influência de Urano. O que isso tem a ver com a informática? Muita coisa. Afinal, Urano é patrono da tecnologia de ponta, senhor do novo, que abraça tudo que aponta para o futuro.

E com a bênção dos astros, o setor deve continuar investindo no que vem dando certo, e que salvou muitas empresas de tecnologia da crise: aplicativos de gestão. "Muitos se voltaram para soluções de TI para combater os seus problemas financeiros. Soluções de business intelligence, que ajudam na administração de bancos de dados gigantescos devem evoluir para funcionar de forma integrada com outros sistemas", explica o consultor da IDC, Roberto Gutierrez.

Para o analista, uma indicação de que o desenvolvimento de soluções nessa área deve crescer ainda mais no ano que vem é ainda um resultado da crise. Dados apurados pela consultoria Gartner mostram que 62% dos CEOs apontaram soluções em TI como chaves para o sucesso das empresas no cenário pós-crise. "Bons hábitos de administração não se perdem, só melhoram", completa Gutierrez.

Em 2010 poderemos presenciar a invasão das redes sociais aos ambientes corporativos. Ferramentas como o Twitter, Facebook e LinkedIn, depois de se consolidarem entre os internautas, poderão ser utilizadas para análises competitivas inteligentes, com informações atualizadas constantemente. Dentro das empresas, as redes podem ajudar na comunicação interna e tomada rápida de decisões.

Outro tema, que também é antigo, mas não sai da pauta é a chamada TI verde. "Pesquisas para redução do consumo de energia e computação em nuvem são tópicos que entram nessa área de consciência global", afirma o consultor do IDC. Gigantes como a Microsoft e IBM são algumas das empresas privadas que estão voltando suas pesquisas na direção do desenvolvimento de novas tecnologias de preservação ambiental. "Pretendemos estimular as descobertas científicas nesse campo por meio de uma parceria que mantemos com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Anunciamos quatro novos projetos de pesquisa nas áreas de biodiversidade, clima e bioenergia", conta o presidente da Microsoft no Brasil, Michel Levy. Desde 2007, a iniciativa recebeu investimentos conjuntos da empresa americana e da Fapesp, na ordem de US$ 2 milhões. "Desejamos, assim, responder à demanda global por produção científica na área de TI", afirma Levy.

A área de tecnologia móvel também deve receber bastante atenção em 2010. Aplicativos para portáteis têm a perspectiva de atingir até o fim do ano que vem cerca de 1,2 bilhão de pessoas, segundo a Gartner. Esses usuários terão o poder de, nos seus celulares, realizar transações comerciais e rodar programas com diversas funções, o que favorece a convergência de mídias. Os smartphones devem ganhar ainda mais força para melhor interação com os aplicativos online e serviços colaborativos de web 2.0, como o Twitter.

Mais banda e aparelhos poderosos devem aumentar ainda mais a adoção de celulares inteligentes para uso corporativo, que podem rivalizar até com os desktops. Uma estimativa da consultoria IDC nos informa que até o fim de 2010, o iPhone deverá ter 300 mil programas, seguido pelo seu rival Android, que possuirá entre cerca de 50 e 75 mil aplicativos.(R.M.)