Notícia

Inovação Unicamp

Aniversário de 10 anos do PIPE é hoje

Publicado em 18 junho 2007

Por Mônica Teixeira

Em 18 de junho de 1997, surge o programa; investimento em 722 projetos foi de R$ 105 milhões; texto sobre Tramppo ganha prêmio

No dia 18 de junho de 1997, exatos dez anos atrás (para o leitor que clicou nesta reportagem no dia em que Inovação circulou), o governador Mário Covas participou do lançamento do Programa Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas (PIPE), que aconteceu no Palácio dos Bandeirantes. Nos registros da assessoria do governador, há um texto chamado "informativo" sobre a solenidade que iria acontecer. Lá, o assessor José Salles escreveu, para o governador se preparar: "MC [Mário Covas] participa do lançamento do Programa Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), que aprofunda a política da entidade de estimular a pesquisa no setor produtivo. O programa tem um caráter inovador para a Fapesp, na medida em que, pela primeira vez, a entidade aplicará recursos para pesquisa diretamente na empresa".

Pela primeira vez, recursos para pesquisa diretamente na empresa: os recursos do programa da Fapesp para pequenas que inovam foram também, até o lançamento do Programa Subvenção Econômica, os únicos recursos públicos aplicados diretamente na pequena empresa. No anúncio de dez anos atrás, a Fapesp informava que investiria R$ 2,5 milhões anuais no novo programa; que chamaria as empresas interessadas (até cem empregados) a apresentar suas propostas  até o dia 30 de julho; e que, dentre elas, escolheria 30 projetos. Os resultados foram divulgados no dia 15 de dezembro, também no Palácio dos Bandeirantes, com a presença de Mário Covas.

O programa cresceu — 722 projetos de pesquisa foram financiadas até agora —, mas em sua essência mudou pouco. Permanece recebendo projetos em fase I, quando financia o estudo da viabilidade técnica da pesquisa que a empresa quer fazer, e em fase II, em que destina recursos ao projeto de pesquisa — equipamentos, bolsas para trabalhadores qualificados e outros insumos. Só uma vez, em 2004, financiou (com a Financiadora de Estudos e Projetos — Finep) 20 empresas com projetos na chamada "fase III", para levar o produto desenvolvido nas fases anteriores à etapa de comercialização — mas essa idéia já constava do informativo de preparação do governador. O volume de recursos investidos no programa também se multiplicou. Nos dez anos, o total despendido chegou a R$ 105 millhões. Só em 2006, foram R$ 27 milhões, mais de dez vezes o investido em 1997 e um quarto do total (25,71%).

Nas próximas semanas, a fase III vai voltar, e transformada: a parceria envolve novamente a Finep (recursos do Programa Subvenção Econômica) e uma empresa inglesa de capital de risco, a Imprimatur, interessada nas oportunidades que as pequenas inovadoras brasileiras podem representar. Os dez anos tornaram o programa bem conhecido: foi procurado, em 2006, por empresas que elaboraram 395 projetos — dos quais 144 foram aprovados —, dois por semana. Naquele primeiro edital, anunciado por Mário Covas, 70 empresas apresentaram projetos para 30 serem selecionados — conforme o falado no anúncio.

Mas os registros da Fapesp mostram 31 projetos aprovados nesse primeiro edital. No site dedicado Pequenas que Inovam, você pode ler sobre a Hormogen, que mudou de nome; a Equatorial, do setor espacial; a OptoEletrônica, uma estrela de primeira grandeza na constelação das empresas do PIPE; a Unitech, que persegue tecnologias para fazer a célula combustível brasileira; a Compsis, de São José, que cresce com o gerenciamento de logística; a Femto, interessada em espectrofotômetros; e a Technopulp, que fabrica filtros para destilarias.

Repórter do site PIPE — Pequenas que Inovam ganha prêmio

No dia 14 de junho, quatro antes da data de aniversário, Davi Molinari ganhou o Prêmio Ethos de Jornalismo, categoria Mídia Eletrônica, com o texto "Empresa desenvolve equipamento que evita poluição de lâmpada fluorescente; mercado depende da difusão da idéia de reciclar", sobre a Tramppo Recicla Lâmpadas, incubada no Centro Incubador de Empresas Tecnológicas (Cietec). Você pode clicar para ler o texto vencedor.

E como o PIPE comemora seus dez anos, nosso prêmio fica então de presente. Longa vida ao programa que apóia as valentes pequenas que inovam! São os votos da equipe de Inovação.