Notícia

Furb

Ângela Amin aprova emenda de 500 mil para a FURB

Publicado em 02 junho 2021

Por meio de um projeto apresentado pela Universidade Regional de Blumenau (FURB) e emenda parlamentar aprovada pela deputada federal Ângela Amin, o ecossistema de inovação regional acaba de conquistar o Laboratório Integrado de Tecnologia e Inovação Sustentável do Médio Vale do Itajaí (LITIS). Ao total serão investidos R$ 505 mil reais na implantação do laboratório, 500 mil destinados via emenda pela deputada, que é coordenadora do Fórum Parlamentar Catarinense.

A implantação do LITIS foi contemplada pela Emenda n°18800008 - Pesquisa e Desenvolvimento Voltados à Inovação e ao Processo Produtivo do ecossistema de TICs, Internet das Coisas e Tecnologias de Comunicação Avançadas, do Ministério de Ciência e Tecnologia e Inovação.

LITIS

Tecnologias com aplicações nas mais diversas áreas, tais como Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial (IA), formas de geração de energias limpas, manufatura aditiva, robôs humanoides e colaborativos, realidade virtual e aumentada, dentre muitas outras, além de novos conceitos de cidades, indústria, agropecuária, florestas estão sendo concebidos com o objetivo de integrar todas estas inovações para melhorar o bem estar das pessoas, otimizar a produção de bens e serviços, gerar mais eficiência na agropecuária e preservar a biodiversidade e florestas. Comumente estas tecnologias novas ou emergentes costumam ser tratadas e estudas de forma isolada, assim como limitada ao campo de atuação dos pesquisadores daquela área específica.

“Assim, o objetivo do LITIS é promover o desenvolvimento sustentável através da integração de diversas tecnologias de ponta e, desta forma, ampliar os campos de ação destas inovações, gerando uma ampliação do conhecimento e novas aplicações, sejam elas voltadas para a melhoria das cidades, da indústria, comércio, agronegócios, entidades públicas e privadas e na população em geral, principalmente nos jovens”, explica o coordenador do projeto, professor Fabio Perez, diretor do Centro de Ciências Tecnológicas da FURB, ao qual o Laboratório Integrado de Tecnologia e Inovação Sustentável estará vinculado. “Com o objetivo principal de unir as diversas tecnologias e suas aplicações num ambiente que favoreça a integração multiáreas, uma vez que inclui novos conceitos de cidades (Smart City), tecnologias verdes (Green Technology) e Indústria 4.0”, revela Perez.

Dessa forma o LITIS pretende ser um espaço onde se pode conhecer, estudar, pesquisar e desenvolver soluções para estas áreas usando as principais inovações disponíveis, como por exemplo, IoTs, IA, visão computacional, impressão 3D, realidade virtual e aumentada, materiais sustentáveis, energias renováveis, etc.

O LITIS será instalado no Centro de Ciências Tecnológicas da FURB, próximo ao Centro de Inovação Blumenau (CIB) e assim atenderá a comunidade acadêmica (professores e alunos), empresas privadas através do CIB, órgãos públicos bem como alunos e professores de escolas públicas municipais e estadual através de visitas, treinamentos, trabalhos, pesquisas acadêmicas e aplicadas além da integração com outros espaços de inovação pelo Brasil e pelo mundo. Com isso, deve gerar, articular, apoiar e disseminar a tecnologia e inovação sustentável para que pessoas, empresas e entidades públicas possam extrair e aplicar soluções novas ou melhoradas, criando assim uma espiral positiva para fomentar um maior desenvolvimento de toda a região.

Emendas

A FURB foi contemplada com três emendas parlamentares para investimentos a partir de 2021, o total de recursos aprovados é de R$ 700 mil. Além da deputada federal, que destinou R$ 500 mil, o senador Jorginho Mello (via Emenda n°41850001- Fomento à Pesquisa e Desenvolvimento Voltados à Inovação, a Tecnologias Digitais e ao Processo Produtivo), aprovou R$ 100 mil para a oferta de novos serviços tecnológicos em saúde para pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação em comunidade Pomerana de Santa Catarina por meio da Universidade de Blumenau (projeto SHIP).

O deputado federal Gilson Marques, destinou R$ 100 mil ao projeto apresentado pela Universidade que tem como objetivo ofertar um método de rastreio da retinopatia diabética, usando a tecnologia da telemedicina, para avaliação dos pacientes nas unidades básicas de saúde, próximas de seu domicílio. Os recursos foram contemplados via Emenda n°90550002 - Estruturação de Unidade de Atenção Especializada em Saúde, do Ministério da Saúde.

SHIP

Para a oferta de novos serviços tecnológicos em saúde para pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação em comunidade Pomerana de Santa Catarina será implantado o Centro de Pesquisas Clínicas e Epidemiológicas da Universidade de Blumenau (FURB) em Pomerode, SC. A partir dos equipamentos e infraestrutura adequada, e pessoal capacitado para os novos serviços tecnológicos, será permitido investigar associações entre fatores de risco psicossociais, biológicos e de estilos de vida com distúrbios subclínicos e doenças sistêmicas. O foco e a inovação envolvem o acompanhamento do diagnóstico de doenças, avaliação corporal, avaliação do estilo de vida e do risco cardiovascular. Serão acompanhadas 2488 pessoas da linha de base do Estudo Vida e Saúde em Pomerode - SHIP-Brazil, da FURB. Este tipo de serviço não existe na região e é inovador, pois o monitoramento clínico do estilo de vida e saúde das pessoas permite gerar informações e conhecimento em saúde essenciais para o planejamento, programação, monitoramento e gerenciamento de intervenções individuais e coletivas em saúde.

O “Estudo de Saúde da Pomerânia” SHIP Pomerânia é um estudo epidemiológico de coorte iniciado na Alemanha em 1997. Destinado a verificar as incidências e distribuições de uma ampla gama de doenças, bem como fatores de risco ambientais, comportamentais e genéticos na região da Pomerânia Ocidental, Norte da Alemanha. Em 2014, o estudo foi ampliado para a região sul do Brasil, devido à história migratória da população da Pomerânia para a cidade de Pomerode/SC. O SHIP-Brazil pretende acompanhar as condições de vida e saúde da população de Pomerode e comparar com os dados coletados na Alemanha e com outros estudos no Brasil. Promovendo assim a parceria e a cooperação internacional. A coordenação é do professor Clóvis Arlindo de Souza, do Departamento de Educação Física e Desportos da Universidade de Blumenau.

Retinopatia

Implantar um Centro de Telemedicina para Diagnóstico da Retinopatia Diabética no Município de Blumenau através da Universidade de Blumenau e avaliar a taxa de prevalência de retinopatia diabética entre os pacientes diabéticos acompanhados na atenção básica do município de Blumenau-SC, utilizando uma câmera digital portátil como instrumento de telemedicina, estão entre os principais objetivos do projeto apresentado pela FURB para rastrear os casos de retinopatia diabética entre os pacientes diabéticos acompanhados na atenção básica de saúde do município de Blumenau. Cada paciente será submetido a três fotografias, utilizando um retinógrafo digital portátil. Estas imagens adquiridas nas unidades serão posteriormente avaliadas, individualmente, de maneira remota (telemedicina), por um oftalmologista especialista em retina. Os pacientes serão então classificados de acordo o grau da retinopatia e encaminhados conforme a necessidade.

O diabetes mellitus é uma doença crônica, de alta prevalência, onde o estado de hiperglicemia pode levar a uma série de complicações sistêmicas. A retinopatia diabética é uma destas complicações, e é hoje a principal causa de cegueira na população economicamente ativa. Sua detecção de maneira precoce, pode reduzir em até 70% o risco de cegueira nos pacientes diabéticos. A dificuldade de acesso a avaliação oftalmológica adequada pode retardar o diagnóstico e levar a uma cegueira irreversível nestes pacientes. Este tipo de serviço não existe na região e é inovador, pois o monitoramento dos achados de fundo de olho nos diabéticos permite gerar informações e conhecimento em saúde essenciais para o planejamento, programação, monitoramento e gerenciamento de intervenções individuais e coletivas em saúde.

O equipamento que será utilizado neste projeto chama-se EYER, um retinógrafo portátil desenvolvido pela Phelcom Technologies. Phelcom é uma empresa brasileira que une tecnologia e saúde. Seu desenvolvimento foi feito com tecnologia 100% nacional, e fomentado por órgãos como Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), Albert Einstein Sociedade Beneficente Israelita Brasileira, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP, Hospital de Câncer de Barreto e outras. A coordenação é do professor Fernando Marcondes Penha, do Departamento de Medicina da FURB.