Notícia

INPA

Amazonas terá quatro Institutos Nacionais

Publicado em 27 novembro 2008

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) conseguiu um feito inédito ao aprovar quatro projetos submetidos ao edital nº 015/2008 do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Os projetos juntos receberão cerca de R$ 30 milhões. O anúncio foi feito hoje (27), pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, em solenidade de apresentação do edital dos novos Institutos Nacionais. O Programa de INCT investirá cerca de R$ 600 milhões em 101 unidades de pesquisas, que passam a ocupar posição estratégica no Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia (C&T).

Das cinco propostas apresentadas pelo Estado, sendo uma da Universidade Estadual do Amazonas (UEA) e quatro do Inpa, o Instituto conseguiu aprovar todas. São elas: o Centro de Estudos de Adaptação da Biota Aquática da Amazônia (ADAPTA-AMAZONIA), do pesquisador e diretor do Instituto, Adalberto Luis Val; o Centro Nacional de Pesquisas e Inovação de Madeiras da Amazônia, do cientista da Coordenação de Pesquisas em Silvicultura Tropical (CPST), Niro Higuchi; o Centro de Estudos Integrados da Biodiversidade Amazônica e o Instituto Nacional de Serviços Ambientais da Amazônia (SERVAM), dos pesquisadores William Magnusson e Philip M. Fearnside, respectivamente, ambos pesquisadores da Ecologia.

Os institutos selecionados começam a funcionar ainda este ano e estão distribuídos pelas cinco regiões do País. O Norte sediará oito institutos, que receberão R$ 42 milhões; no Nordeste, 14 institutos terão R$ 59 milhões; no Centro-Oeste, três instituições terão recursos de R$ 18 milhões; na região Sul os 13 institutos selecionados recebem R$ 53 milhões, e no Sudeste, onde se encontram 63 unidades - o maior número de sedes - o aporte chega a R$ 319 milhões.

A criação dos institutos conta com a parceria da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC), e das Fundações de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam), do Pará (Fapespa), de São Paulo (Fapesp), Minas Gerais (Fapemig), Rio de Janeiro (Faperj) e Santa Catarina (Fapesc).

O Ministério da Saúde garantiu apoio a um conjunto de projetos relacionados com saúde humana, e os representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Petrobras selecionaram projetos que poderão também contar com o apoio desses parceiros.

Ascom Inpa

Com informações da Assessoria de Comunicação do MCT e CNPq