Notícia

Psique Ciência & Vida

ALZHEIMER - UM NOVO CAMINHO

Publicado em 01 novembro 2011

Uma pequena parte de um receptor cerebral acaba de ser anunciada por um grupo de cientistas nos Estados Unidos como um alvo promissor para o desenvolvimento de novos medicamentos contra Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas. A pesquisa realizada na Universidade de Buffalo foi embasada num receptor, um aminoácido denominado NMDA (N-metil-D-aspartato). O foco dos estudos se deu nos receptores cerebrais para o neurotransmissor glutamato, que estão diretamente ligados com doenças como acidentes vasculares cerebrais (AVC), mal de Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas. Os dois principais receptores no cérebro para o glutamato são o NMDA e o AMPA, ambos com papéis fundamentais na memória e no aprendizado humano. São receptores compostos de quatro subunidades, que possuem estruturas semelhantes entre si e são organizadas em pares dentro de cada receptor. O grupo conseguiu detectar que, ao obter uma redução expressiva na atividade do NMDA, acontece uma diminuição na quantidade de cálcio que entra nos neurônios em resposta ao glutamato. O excesso de cálcio que ocorre devido à maior atividade de receptores NMDA é o que eventualmente terminará por matar neurônios, levando aos sintomas comuns que ocorrem após um AVC ou doenças do mesmo gênero. A Namenda, um dos medicamentos que atuam no receptor NMDA, tem como foco um local diferente dentro do receptor pesquisado pelo grupo de estudiosos da universidade, mas mesmo assim ainda gera expectativas positivas de resultar no desenvolvimento de drogas mais eficientes. Agência Fapesp