Notícia

Jornal da Manhã (Marília, SP)

Alunos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação são aprovados em Mestrado

Publicado em 13 janeiro 2018

Consolidando a tradição do Univem de aprovar 100% dos alunos que buscam dar continuidade em seus estudos em nível de pós-graduação Stricto-Sensu, concluintes, em 2017, dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem foram admitidos nos principais programas de mestrado do País. Entre os aprovados estão os bacharéis em Ciência da Computação: Valdir Júnior, Claudemir Brito Júnior, Thiago Aparecido Gonçalves da Costa, Fernanda Mayumi Ohnuma Tachibana, Matheus Ferraroni Sanches e Lucas Zanco Ladeira e os bacharéis em Sistemas de Informação: Gustavo Martos Caceres Pereira e Jordana Nogueira Silva.

Com foco no empreendedorismo e na pesquisa científica e tecnológica e por conta do cenário de inovação existente em Marília por meio do Centro de Inovação Tecnológica de Marília (CITec-Marília), do Centro Incubador de Empresas de Marília (Ciem) e do Innova Space Coworking – ambientes geridos pelo Univem e credenciados pelo Governo do Estado – e em breve o Parque Tecnológico, Valdir Júnior, optou pelo mestrado em Ciência da Informação na Unesp de Marília, ele também foi aprovado na USP e UFSCar. “A matriz curricular e o incentivo à iniciação científica e ao empreendedorismo durante todo o curso foram fundamentais para a preparação e aprovação no mestrado. Hoje, por conta do Univem, Marília tem um cenário muito promissor para quem quer, como eu, investir numa startup e na área acadêmica, por que não”, comentou.

Aprovado no programa de Mestrado da USP São Carlos em Engenharia de Software e Sistemas de Informação, Claudinei Brito Júnior destacou o conteúdo programático e o fomento às pesquisas e publicações como diferenciais do Univem. “O curso oferece uma matriz curricular que atende não apenas as exigências do mercado, mas prepara o aluno para o mestrado e doutorado”, disse.

Fernanda Tachibana dedicou três anos e meio dos quatro anos da graduação à iniciação científica. Foi bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). “Esse é o diferencial do Univem: oferecer ao aluno oportunidades de pesquisa para que possam concorrer de igual pra igual com alunos das instituições públicas”.

Agregar mais qualificação no currículo profissional. Esse é o objetivo do bacharel em Ciência da Computação, Matheus Ferraroni Sanches, aprovado no Mestrado da Unicamp em Computação. Para ele, a estrutura do Univem como o laboratório de pesquisa em Computação e Sistemas de Informação, COMPSI – Computingand Information Systems Research Lab, e a orientação dos professores orientadores preparam os alunos para essa nova fase. “A faculdade mostra os caminhos, e vai dos alunos seguir esse caminho e chegar lá”, afirmou.

Já com foco na academia, Lucas Ladeira, também aprovado no mestrado da Unicamp, destacou o trabalho dos professores e orientadores do Univem no processo de escolha. “Desde o primeiro ano os alunos são incentivados à pesquisa. O Mestrado vai me preparar para compartilhar o conhecimento adquirido aqui”, salientou.

A formação mais profunda, com o objetivo de se preparar para área acadêmica também é a meta de Gustavo Pereira, aprovado no programa de Mestrado da Unesp de Marília em Ciência da Informação. “A vida acadêmica sempre me interessou e ao longo da graduação isso só cresceu. A iniciação científica e o incentivo à pesquisa foram cruciais para reforçar meu interesse pelo Mestrado Acadêmico”. Concluinte do curso de Sistemas de Informação, Jordana Silva segue agora para o Mestrado em Interação Humano-Computador na Universidade Federal de São Carlos. “Não temos por que perder tempo. Principalmente na nossa área, o mestrado é fundamental. O mercado está cada vez mais exigente e a qualificação é essencial”, ressaltou.

O coordenador dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação, Prof. Dr. Elvis Fusco, explicou que os cursos da área de TI do Univem têm como base os pilares da formação voltada à atuação profissional, ao empreendedorismo e inovação e à pesquisa científica. “Esse resultado da aprovação dos nossos alunos em programas de mestrado é fruto do investimento existente na pesquisa científica desde o 1º ano e na orientação de professores com alta formação acadêmica. Temos alunos com bolsa de pesquisa de órgãos de fomento como CNPq e Fapesp e de empresas que investem na pesquisa científica para a realização de projetos de inovação”, destacou.