Notícia

Diário São Carlos

Aluno do IFSC gerencia desenvolvimento de aparelho de RMN 100% brasileiro

Publicado em 09 junho 2015

Daniel Consalter, que é aluno de doutorado do CIERMag*, do Grupo de Ressonância Magnética do Instituto de Física de São Carlos (IFSC/USP), gerenciou o desenvolvimento do Specfit, primeiro espectrômetro comercial de ressonância magnética nuclear (RMN), 100% brasileiro. O equipamento, fabricado pela Fine Instrument Technology (FIT), empresa de base tecnológica sediada em São Carlos, foi lançado no final do mês de maio e já está instalado no Núcleo Interdisciplinar de Dinâmica dos Fluidos, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NIDF/UFRJ), sendo que um dos componentes do referido espectrômetro também foi adquirido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA, de São Carlos.

Esse equipamento, um relaxômetro - sistema capaz de executar medidas analíticas -, nasceu através de um projeto aprovado em R$ 1,8 milhão pela FINEP e é constituído por um console - o "cérebro" que controla inteiramente o aparelho -, além de bobina, amplificador, magneto, entre outros componentes.

Segundo Daniel Consalter, que além de doutorando do IFSC/USP é gerente de projetos da FIT, o citado espectrômetro pode ser aplicado em diversos setores, seja no alimentar, petrolífero, ou de saúde. No que se refere aos alimentos, o Specfit é capaz de analisar a qualidade de azeite ou a quantidade de frutas em sucos industrializados, além de executar outras medições de líquidos em diversos produtos. "Utilizando o nosso aparelho, foi possível descobrir que a diferença entre uma geleia diet e normal estava na quantidade de água. A diet, por exemplo, tinha mais água, o que diminuiu a porcentagem de caloria e açúcar", explica ele.

Esse espectrômetro também pode ser aplicado no processo de extração de petróleo, na análise de rochas, bem como na área de biodiesel. "O Specfit é voltado aos pesquisadores e são eles que definem qual será a aplicação do espectrômetro", diz Consalter, acrescentando que a empresa firmou recentemente um convênio com o IFSC/USP, por meio do Sistema Brasileiro de Tecnologia - SIBRATEC, com o intuito de desenvolver equipamentos voltados à área médica. “Através dessa parceria, a FIT e o CIERMag darão, juntos, os primeiros passos para a elaboração de um equipamento médico nacional de imagens via ressonância magnética”.

Futuros projetos da FIT

Através de um novo projeto aprovado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - FAPESP, a FIT já está fabricando um novo equipamento voltado a imagens de pequenas amostras, que deverá ser utilizado em laboratórios de ensino universitários.

Com a colaboração do Dr. Giancarlo Tosin, que atuou durante vinte e um anos como chefe do departamento de ímãs do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron - LNLS, em Campinas, São Paulo, o doutorando do IFSC deverá desenvolver um novo equipamento de ressonância magnética com magnetos nacionais, já que essas peças normalmente são fabricadas no exterior. "O Tosin tem elaborado desenhos inovadores de magnetos para ressonância magnética, então, a expectativa é de que tenhamos esse novo aparelho daqui a alguns meses", revela ele, manifestando esperança que sejam quebrados os preconceitos que ainda existem quando se fala em equipamentos nacionais, fabricados pela “excelente mão-de-obra existente no país”.

*Centro de Imagens e Espectroscopia in vivo por Ressonância Magnética.

Assessoria de Comunicação