Notícia

Jornal da Unesp

Alternativas para o estímulo à pesquisa

Publicado em 01 abril 2013

Por Bruna Kalaes

O Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap) reuniu, entre 7 e 8 de março, em Salvador, representantes das 26 Fundações de Apoio a Pesquisa (FAPs) do país, dos órgãos de fomento Capes, CNPq e Finep, além de outras autoridades.

“A grande importância do encontro é garantir que os dirigentes das FAPs tenham uma maior participação na definição da política de ciência e tecnologia do país”, comentou José Arana Varela, professor da Unesp de Araraquara, que compareceu ao evento na condição de diretor-presidente do Conselho Técnico-Administrativo da Fapesp.

O encontro examinou as relações das agências de fomento com as fundações, além de novas plataformas on-line, como o portal do CNPq, voltado aos bolsistas do programa Ciência Sem Fronteiras, e o Sifaps, software que permitirá às FAPs a avaliação global de seus resultados.

FALA DAS AUTORIDADES

O então presidente do Confap, Mario Neto Borges, destacou: “Cabe às FAPs o importante papel de conhecer seus Estados a fundo e formar parcerias com agências e grandes empresas do Brasil e exterior”. Ele foi substituído no encontro por Sergio Gargioni, da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), eleito para presidir o Conselho nos próximos dois anos.

A importância de relações mais próximas entre FAPs e empresas também norteou o discurso do secretário de Planejamento da Bahia, José Sérgio Gabrielli: “O Brasil está vivendo uma mudança substancial na expansão do mercado interno, aumentando a pressão por novos produtos e serviços”, acentuou. Para Manoel Barral, diretor de Cooperação Institucional do CNPq, a ciência brasileira tem melhorado, mas ainda há um longo caminho a percorrer.

* A jornalista Bruna Kalaes viajou a Salvador a convite da organização do evento.

Ouça entrevista de Manoel Barral para o Podcast Unesp: http://bit.ly/Wkwt3e