Notícia

Movimento ODS Santa Catarina

Alerta da ONU sobre piora da crise climática afeta empresas e consumidores

Publicado em 10 agosto 2021

A corrida contra o tempo para evitar os efeitos da emergência climática acelerou e iniciativa privada pode liderar ações efetivas no cumprimento dos ODS

A Organização das Nações Unidas (ONU), 29 anos após a assinatura do Protocolo de Kyoto e da Rio 92 — dois marcos na divulgação da crise climática e nas tratativas para tentar freá-la –, alertou que a situação chegou em um ponto crítico mais rápido do que o previsto e, se mantiver o ritmo, as catástrofes climáticas serão cada vez mais frequentes. O cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) na frente ambiental se tornou ainda mais urgente. “Estamos presenciando na realidade o que poderia fazer parte de filmes de ficção. Incêndios devastadores, cidades arrastadas por enxurradas, temperaturas extremas, rios secos”, diz Marcus Nakagawa, coordenador do Centro ESPM de Desenvolvimento Socioambiental.

O relatório de 42 páginas do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) foi divulgado três meses antes da COP-26, a cúpula do clima, que ocorrerá em Glasgow, na Escócia. Segundo Nakagawa, o papel das empresas com relação ao clima fica cada vez mais importante. “Investir cada vez mais em energia limpa e renovável, colocar efetivamente o ESG no negócio, não só em ações paralelas, reduzir o impacto ambiental das atividades produtivas e de prestação de serviços e determinar metas ambiciosas para a redução da emissão de carbono são medidas que não podem esperar.”

Para Nakagawa, também é papel das empresas orientar o mercado em relação ao consumo consciente e ao impacto das escolhas individuais no futuro do planeta. Empresas também devem engajar seus fornecedores a produzir dentro de padrões rigorosos de respeito ao meio ambiente. “Um caso exemplar é o da Timberland, que foi categórica ao divulgar que não compraria mais insumos do Brasil, enquanto o país não estancasse o desmatamento e as queimadas”, afirma Nakagawa.

Confira dez mensagens do sumário executivo do relatório do IPCC que devem servir com alerta máximo ao tomadores de decisão e toda a sociedade:

1 – “É inequívoco que a influência humana aqueceu a atmosfera, os oceanos e a superfície terrestre. Mudanças climáticas rápidas e disseminadas ocorreram.”

2 – Do aquecimento de 1,09oC observado atualmente (2011-2020) em comparação com o período pré-industrial (1850-1900), 1,07oC provavelmente deriva de ações humanas, como a queima de combustíveis fósseis e o desmatamento.

3 – Na última década a cobertura de gelo marinho no Ártico chegou a sua menor extensão desde 1850 e, no verão, ela é a menor em MIL ANOS.

4 – É virtualmente certo que a frequência e a intensidade de extremos de calor aumentaram na maior parte do globo desde 1950. Alguns extremos de calor observados na última década seriam extremamente improváveis sem influência humana.

5 – Desde 1750 os humanos são o fator dominante de alterações no clima. Seu efeito em 2019 equivalia a 2,72 Watts/m2, ou cinco lâmpadas de árvore de Natal ligadas permanentemente em cada quadrado de 1m x 1m da superfície do globo.

6 – A temperatura global em 2081-2100 muito provavelmente será 1ºC a 1,8ºC mais alta do que entre 1850 e 1900 no melhor cenário de emissões e de 3,3ºC a 5,7ºC mais alta no pior cenário.

7 – Em todos os cenários a marca de 1,5ºC, limite mais ambicioso do Acordo de Paris, deve ser ultrapassada entre 2021 e 2040. No cenário de menor emissão, ela volta a cair abaixo disso no fim do século.

8 – Mesmo com o aquecimento global estabilizado em 1,5ºC, eventos extremos sem precedentes no registro histórico deverão acontecer.

9 – Algumas regiões semiáridas e a chamada Região da Monção da América do Sul, que compreende parte do Centro-Oeste brasileiro, da Amazônia, da Bolívia e do Peru, deverão ter os maiores aumentos de temperatura nos dias mais quentes do ano.

10 – Limitar o aquecimento global em qualquer nível requer no mínimo que as emissões líquidas de CO2 sejam zeradas e que outros gases de efeito estufa, como o metano, sejam substancialmente reduzidos. DESDE JÁ.

Lançamento do novo relatório do IPCC Grupo de Trabalho 1

No dia do lançamento mundial das contribuições do Grupo de Trabalho 1 (WG1) para o Sexto Relatório de Avaliação – AR6, do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas), que sintetiza o conhecimento sobre as bases físicas das ciências relacionadas ao clima, o Programa FAPESP de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais promoveu um webinario para apresentar os resultados e seus impactos aos sistemas naturais e sociais.

Também foram analisadas as perspectivas que o novo documento traz para as ações necessárias ao enfrentamento das mudanças climáticas globais no Brasil e no planeta. O evento contou com a participação de Jean Ometto, membro da coordenação do Programa FAPESP de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais, além dos CONVIDADOS Lincoln Alves, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Autor-líder do novo Atlas de Mudanças Climáticas; Paulo Artaxo, Programa FAPESP de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais, Autor-líder do capítulo 6; e Thelma Krug, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Vice-presidente do IPCC

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
Valor Econômico online Valor Econômico online Valor Econômico Valor Econômico Folha.com O Globo O Globo online O Estado de S. Paulo Folha de S. Paulo Folha de S. Paulo Folha.com O Globo online Folha.com Estadão.com Estadão.com Valor Econômico online Valor Econômico online Revista 100 Fronteiras online eCycle eCycle Um Só Planeta São Paulo FM Geo - Conceição PCdoB - Partido Comunista do Brasil ABC Jornal (Novo Hamburgo, RS) Tudo é Espanto Gazeta da Semana Ciência na rua Jornal Vale dos Sinos Jornal Vale dos Sinos Correio de Gravataí online Jornal NH online Jornal Vale dos Sinos Diário de Canoas online APWR - Associação Park Way Residencial Blog da Biblioteca da Escola de Engenharia e do Instituto de Computação Jornal NH online Sustentando Blog do Mesquita Ambientebrasil The Shift Instituto Humanitas Unisinos Antes que a Natureza Morra Jornal da USP online Saense EcoDebate Câmara de Cultura TV Alesp Quimiweb Inovação Tecnológica Revista Amazônia Modefica Gazeta da Torre Portal Neo Mondo Envolverde Blog Jornal da Mulher Galileu online Press From Brasil (EUA) Plurale online Portal da Enfermagem Leiamais.ba Instituto Humanitas Unisinos Quimiweb E&P Brasil Press From Brasil (EUA) Vocativo.com Plurale online Capadocianas Jornal da Ciência online Portal Neo Mondo Mundo e Meio Agrosoft Rádio Agência Nacional (EBC) Planeta Osasco Deutsche Welle (Alemanha) Deutsche Welle (Alemanha) Jornal Tornado (Portugal) Saense Instituto Humanitas Unisinos Rádio Coração Afogados FM 87,9 Portal Vermelho EcoDebate O Eco Quimiweb Brasil Amazônia Agora Encontre Barra Funda Tecmundo Brasil Amazônia Agora Agência Brasil China Meio Norte online (Piauí) Jornal de Gramado online Diário de Cachoeirinha online