Notícia

Agência USP de Notícias

Aldeia Jurídica Global afirma interdisciplinaridade do direito

Publicado em 17 julho 2007

Por Fábio Brandt, USP Online (fabiobrandt@usp.br)

"Logotipo interdisciplinar": imagem foi desenvolvida por Cláudia Marianno, aluna da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP


Um espaço virtual, criado em 2005, por duas alunas da Faculdade de Direito (FD) da USP se consolida como centro de discussão do direito e sua interdisciplinaridade. Trata-se da Aldeia Jurídica Global, idealizada pelas irmãs gêmeas Camila e Caroline de Camargo Silva Venturelli. A página é uma das mais acessadas da Incubadora Virtual - projeto da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Camila explica que o objetivo da Aldeia é disseminar os ramos e a interdisciplinaridade do direito para estudantes e profissionais. A pesquisa que origina o conteúdo da página começou há quatro anos, com dois fundamentos, explica a orientadora das irmãs, a professora Maria José Galleno. "Primeiro, consideramos que o direito é único. Apesar dos vários ramos (como civil e penal) a lógica não muda. Segundo, procuramos ligações entre direito e as outras ciências, mostrando a interdisciplinaridade", aponta.

A estudante Camila ressalta que a pesquisa inova pelo seu formato (material de estudo disponível pela internet) e seu objeto (a interdisciplinaridade). Para ela, isso contribui para desmistificar a idéia de que a São Francisco (nome popular da FD) é atrasada no tempo e antiquada. "Pesquisas moderníssimas partem daqui, como as relações entre direito e saúde ou cinema", diz Camila.


Conceitos

As irmãs Venturelli definem interdisciplinaridade como a conjugação de disciplinas e, de acordo com os resultados de suas pesquisas, o direito está presente em todas, porque tem como objeto as pessoas e suas relações. A professora Maria José completa: "em tudo há um ordenamento, uma forma de normatizar".

Maria José afirma que, mesmo sem interferência de profissionais do direito, há regulações em todas as atividades, o que precisa ser estudado. "Há regras internas. Isso fica claro na medicina, nos esportes, na economia. Até o estudo da arte tem isso. Quem pode dizer o que é arte? Os críticos, pessoas autorizadas". Essas normas também estão presentes em comunidades aparentemente alheias a regulações formais, como as leis da constituição: "nos morros e favelas, por exemplo, há produção normativa da comunidade, até para garantir serviços que o Estado não presta", diz a professora.

Camila acrescenta: "onde o homem estiver presente, o direito também estará, para regular as situações". Essa relação é provocada pela característica do ser humano de viver em sociedade: "as pessoas sempre participarão de diversas situações e relações no contexto em que vivem, o que requer normas".


Apoio

O projeto ganhou dimensão na São Francisco, tendo um link na página oficial da faculdade e recebendo artigos de professores. "Os visitantes também demonstram interesse, enviando textos e pesquisas para publicarmos", diz Camila.

O público, muito variado, inclui até não-universitários, afirma Camila. "Temos preocupação de que a linguagem seja acessível, sem os termos técnicos do 'juridiquês'". Com o objetivo da interdisciplinaridade, ela diz, o projeto deve estar aberto a quem trata com outras atividades e quer conhecer e contribuir com o direito.

O Aldeia Jurídica é um projeto de extensão, sem recebimento de bolsa e sem prazo para terminar. O vínculo com a Fapesp resume-se à hospedagem do site na Incubadora Virtual, o que garantiu apoio recebido na construção da página. "Não sabemos programar e eles estruturaram tudo".

A Incubadora integra o programa Tidia da Fapesp, voltado para a dinamização da internet com fins educacionais, e contempla projetos acadêmicos, tecnológicos e sócio-culturais sem fins lucrativos diretos. Projetos abertos com produção coletiva e colaborativa têm prioridade, afirma Greice Munhoz, da assessoria de comunicação da Incubadora. "Nossos sites não são de uma só pessoa, mas de grupos". O objetivo da Incubadora é dar suporte para que os sites criem vida própria e se destaquem, conclui Greice.


O que pesquisar no Aldeia Jurídica?

Composto por pastas temáticas, o site contém documentos e artigos sobre direito, desde noções básicas até pesquisas específicas. Também disponibiliza referências bibliográficas e links para outras páginas da internet. "Procuramos indicar informações úteis e atuais, como sites de faculdades de direito do mundo todo e de organismos internacionais", afirma Camila Venturelli.

Há também seções com curiosidades e conteúdos engraçados, como a "Coffee Break", que disponibiliza crônicas, charges e piadas relacionadas ao cotidiano jurídico. 


Serviço

Aldeia Jurídica Global - http://aldeiajuridica.incubadora.fapesp.br/portal

Contato: milaventurelli@uol.com.br

Incubadora Virtual da Fapesp - http://incubadora.fapesp.br/

Para hospedar um site na Incubadora, basta que a pessoa ou grupo inscreva projetos com fins educacionais, de caráter acadêmico, tecnológico ou sócio-cultural, sem fins lucrativos diretos. A solicitação é feita através do preenchimento de um formulário que está na home do site