Notícia

Agora São Paulo

Alckmin troca 21 secretários

Publicado em 31 dezembro 2010

Apesar de ter sido eleito como candidato da situação, Geraldo Alckmin (PSDB) assume o governo do Estado amanhã com um time de secretários quase todo renovado. O tucano manteve apenas cinco nomes indicados pelo ex-governador José Serra (PSDB). Das 26 pastas atuais, 21 têm novos comandantes. Dessa lista, há alguns dos campeões de voto das últimas eleições.

Apesar de novo, o conjunto não surpreende. Boa parte dos indicados tem história no PSDB, como o deputado federal José Aníbal, que já foi presidente nacional da legenda, e Sidney Beraldo, coordenador da campanha de Alckmin e do governo de transição. O que surpreende é o volume da troca -a presidente eleita Dilma Rousseff (PT), por exemplo, manteve 13 dos 37 nomes do governo Lula -35%, ante 20% de Alckmin.

A composição do governo, segundo Alckmin, foi pautada pela competência e unidade. Ontem, o governador eleito afirmou que procurou os melhores nomes. "Pessoas com enorme experiência de vida nas suas respectivas áreas. É um time preparado para não perdermos tempo", disse, ao anunciar a primeira reunião de trabalho da nova equipe. "Será às 8h30 do dia 3."

Dança das cadeiras

Nos bastidores, porém, as mudanças não foram vistas com bons olhos por alguns dos caciques do PSDB paulista. Com o apoio de Serra, Paulo Renato, por exemplo, atual secretário de Educação, desejava continuar no cargo. 0 governador Alberto Goldman também esperava convite que não foi feito para o comando da pasta de Recursos Hídricos.

Já Andrea Matarazzo, fiel aliado de Serra, vai continuar à frente da Secretaria de Estado da Cultura -ele foi um dos poucos tucanos que apoiaram Alckmin na disputa pela prefeitura, em 2008.

Outra novidade é a volta de Paulo Alexandre Barbosa. O ex-secretário-adjunto de Gabriel Chalita (PSB), que comandava a pasta da Educação na gestão anterior de Alckmin e trocou de partido, teve o apoio do padrinho para assumir a secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social.

Na lista de mudanças ainda há a extinção de três secretarias: Relações Institucionais, Ensino Superior e Comunicação, que será coordenadoria.

(Adriana Ferraz)

O time

Educação

Herman Jacobus Cornelis Voorwald

É reitor da Unesp desde 2009 e membro do Conselho Superior da Fapesp, entidade de fomento à pesquisa