Notícia

A Cidade On (Araraquara, SP)

Alckmin indica mais três secretários

Publicado em 03 dezembro 2010

O governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou ontem três que fazem parte de seu círculo de aliados para o secretariado. O tucano confirmou o ex-secretário de Segurança Saulo de Castro para a pasta de Transportes e o ex-deputado Jurandir Fernandes para Transportes Metropolitanos. O governador também anunciou que seu vice Guilherme Afif Domingos vai acumular a Secretaria de Desenvolvimento. Com a exceção de Afif, que é da cota do DEM, os dois novos nomes podem ser considerados "escudeiros" de Alckmin nas últimas campanhas.

O governador eleito informou que a Secretaria de Ensino Superior será extinta em seu governo. As atribuições da pasta serão transferidas, a partir de 1º de janeiro, para o Desenvolvimento que ficará responsável pela gestão da Fapesp e das três universidades públicas do Estado de São Paulo (USP, Unicamp e Unesp). Ainda na esfera da secretaria, Alckmin anunciou a criação da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp). Será a primeira instituição de ensino superior a distância em São Paulo.

Alckmin reafirmou que criará a Secretaria de Gestão e Desenvolvimento Metropolitano que teria como foco planejar iniciativas para as principais regiões metropolitanas do Estado. Ele destacou que a nova pasta não esbarrará na atuação de outras pastas. "O objeto dessa secretaria é apenas articular projetos para as regiões metropolitanas", afirmou. Segundo o governador eleito, a nova secretaria contará com recursos do Fundo de Desenvolvimento Metropolitano e terá ajuda dos Conselhos de Desenvolvimento Regional.

A definição de Saulo de Castro para a secretaria dos Transportes surpreendeu. O indicado é procurador de Justiça desde 1987 e foi o titular da Secretaria da Segurança Pública na primeira gestão de Alckmin (2002-06), quando ocorreu o ataque de uma facção criminosa na região metropolitana de São Paulo. O governador eleito explicou que a escolha de Saulo deve-se a sua experiência em gestão e destacou que sua formação jurídica dá maior segurança ao governo em questões judiciais e de contratos na área da pasta.