Notícia

Agência de Notícias da Aids

Aids e outras grandes epidemias são tema de exposição em São Paulo

Publicado em 11 março 2010

Por Talita Martins

Uma réplica gigante do vírus HIV e imagens das principais campanhas que marcaram o combate da aids no Brasil são algumas das atrações da exposição "As Grandes Epidemias", que pode ser visitada gratuitamente no Centro de Difusão Científica do Butantan, em São Paulo, de terça-feira a domingo, das 10h às 16h.

Além da aids, outras doenças, como a varíola, a peste negra (ou peste bubônica, pandemia que matou mais de 30 milhões de pessoas na Europa no século XIV), a meningite e a gripe são explicadas em painéis e vídeos.

No caso da aids, por exemplo, o médico Drauzio Varela fala sobre as diferentes fases da doença e ressalta:

"Ainda não existe uma vacina ou a cura da aids, por isso a melhor forma de prevenção é o uso do preservativo."

E justamente por não ter cura, o monitor do Museu de Microbiologia do Butantã Luciano Barbosa acredita que a aids recebe um destaque especial na mostra.

"A aids é a única doença aqui que ainda não tem nem uma vacina eficaz", comentou.

Barbosa explica que a vacina é a principal arma na luta contra as pandemias e lembra que a primeira vacina surgiu quando o cientista britânico Eduardo Jenner, em 1796, inoculou seu filho de oito anos com um material retirado de uma vesícula de uma paciente com varíola.

Semanas depois, a mesma criança foi posta em contato com o vírus da varíola e não contraiu a doença.

"Esperamos estar perto também da descoberta de vacina contra a aids", comentou Barbosa.

Apoiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), a exposição tem como idealizador o diretor cientifico do Instituto Butantan, Isaías Raw.

Não há data definida para o término da exposição.

Serviço: "As Grandes Epidemias", De terça a domingo, das 10h às 16h; Centro de Difusão Científica do Butantan; Av. Vital Brasil, 1.500; Entrada gratuita.