Notícia

APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios / Governo do Estado de São Paulo

Agropolo Campinas-Brasil apresenta resultados parciais do projeto que identifica áreas estratégicas de pesquisa na bioeconomia

Publicado em 02 agosto 2017

Os resultados parciais do primeiro ano do projeto de políticas públicas (PPPBio) Agropolo Campinas-Brasil, que visa o desenvolvimento de conhecimentos científicos e tecnológicos para promover maior conexão entre as instituições de pesquisa e ensino e a iniciativa privada em Campinas e Região serão apresentados nesta quinta-feira, 3 de agosto de 2017, às 14h, na Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), em São Paulo. O objetivo do projeto é promover a pesquisa tecnológica diferenciada, com geração de melhores oportunidades de emprego e renda.

No evento, será realizada uma mesa de debate sobre como atingir o objetivo de migrar de uma economia baseada no petróleo para a bioeconomia. Nesse primeiro ano do PPPBio foram realizados sete workshops com elaboração de roadmaps que apresentam políticas públicas que possam contribuir para a migração para a bioeconomia. Esses eventos reuniram cerca de 920 participantes, sendo cerca de 50% da iniciativa privada, que colaboraram na construção desses roadmaps. Ao todo, serão realizados 14 workshops pelo Agropolo Campinas-Brasil, a plataforma colaborativa interinstitucional, que completou dois anos em junho de 2017.

Além dos workshops, foram realizadas duas missões para o exterior – uma para França e outra para Suécia e Alemanha. A primeira para conhecimento da Agropolis International, que inspira o trabalho. A segunda missão buscou identificar os fatores de influência de inovação nas instituições desses países com foco em bioeconomia, em sistemas de embalagens, automação e materiais. O grupo procurou também conhecer as estratégias das instituições da Suécia, que se fundiram para fortalecer a pesquisa e a inovação em bioeconomia.

Para este segundo semestre de 2017, estão programados três workshops temáticos e outras duas missões – sendo uma para a Holanda e outra para a França e Bélgica. O objetivo é discutir as estruturas que existem nas instituições desses países para que o Agropolo Campinas-Brasil possa constituir na região de Campinas unidades mistas de pesquisa.

Também como resultado parcial deste primeiro ano, consta o projeto Reciclar Verde, em parceria com a Prefeitura de Campinas, para produção de compostagem, com uso de resíduos verdes da cidade de Campinas.

Dentre as realizações, está também o PIT Alimentos – Programa de Inclusão Tecnológica Para Micro e Pequenas Indústrias e Agroindústrias de Alimentos e Bebidas da Região de Campinas.

Segundo o diretor-geral do IAC, Sérgio Augusto Morais Carbonell, que preside a secretaria executiva do Agropolo, as ações são direcionadas à construção de novos modelos de produção científica e industrial, mais eficientes e sustentáveis. “A expectativa é que os workshops apontem o que a bioeconomia traz de benefícios para as cinco áreas do Agropolo”, diz, em relação à agricultura, alimento, saúde, química verde e bioenergia.

O secretário de Agricultura, que participará da reunião na Fapesp, afirma que o ritmo de trabalho do Agropolo e o encaminhamento de ações mostra o empenho das instituições envolvidas. “Na Secretaria de Agricultura, trouxemos quatro de nossos institutos para esse grupo, com total apoio do governador Geraldo Alckmin”.

Agropolo Campinas-Brasil

O Agropolo tem o objetivo de conduzir projetos que alavanquem o desenvolvimento da região de Campinas, por meio da aproximação de instituições de pesquisa com o setor produtivo, com a participação de empresas de vários setores da economia, inclusive startups, a fim de incentivar a inovação e a competitividade na região.

Participam do Agropolo Campinas-Brasil, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do IAC, Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), Instituto Biológico (IB) e Instituto de Zootecnia (IZ), Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, UNICAMP, Prefeitura de Campinas, Techno Park Campinas – Associtech e Associação Agropolis International. A plataforma interinstitucional conta com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), Be-Basic Foundation e a Câmara de Comércio Exterior de Campinas e Região (CCCeR).

O conselho administrativo é formado pelo prefeito de Campinas, Jonas Donizette, como presidente; reitor da Unicamp, Marcelo Knobel, como vice-presidente; secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim; secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Márcio França, representantes do Techno Park Campinas, Miguel Gilberto Pascoal e José Luiz Camargo Guazzelli, e os representantes da Agropolis International, Bernard Hubert e Eric Fargeas.