Notícia

Unesp

Agrônomo formado em Jaboticabal recebe prêmio da Embrapa

Publicado em 25 abril 2012



Formado pela Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV) da Unesp de Jaboticabal, o engenheiro agrônomo Carlos Clemente Cerri, do Centro de Energia Nuclear na Agricultura da USP (Cena), conquistou o Prêmio Embrapa ‘Frederico de Menezes Veiga 2012’. O prêmio, que está em sua 34ª edição e, neste ano, teve como tema ‘A agricultura na economia de baixa emissão de carbono’, será entregue hoje (25/04), durante a solenidade de comemoração dos 39 anos da Embrapa, na sede da empresa, em Brasília.

“É muito honroso ser agraciado por uma distinção dessa magnitude pela Embrapa, principalmente porque esse prêmio vem coroar meus 50 anos de carreira científica”, disse o pesquisador do Laboratório de Biogeoquímica Ambiental do Cena, instituição onde trabalha há 37 anos.

“Cerri trabalha com a área de mudanças climáticas e é mundialmente conhecido pelas suas pesquisas. É uma honra para nós”, afirma a professora Maria Cristina Thomaz, diretora da FCAV.

O Prêmio Frederico de Menezes Veiga foi instituído pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em 1974. É concedido anualmente àqueles que, no campo da pesquisa agropecuária, tenham-se destacado pela realização de obra científica ou tecnológica de reconhecido valor ou se dedicado a produzir trabalhos que signifiquem efetiva e marcante contribuição ao desenvolvimento agropecuário nacional.

Engenheiro agrônomo, Cerri vem se destacando desde 1992 por pesquisas que têm como meta a redução da pegada de carbono dos bioprodutos do agronegócio. Seus experimentos podem levar a obtenção de dados reais sobre sequestro de carbono do solo e emissões de gases do efeito estufa pela mudança do uso da terra, insumos (fertilizantes, defensivos, calcário), restos de cultura e dejetos animais.

O pesquisador também continua sendo um grande divulgador da tecnologia, realizando palestras em encontros no Brasil e exterior, e dando entrevistas para difundir o tema a vários programas das mais variadas mídias. Também leciona disciplinas em nível de pós-graduação nessa área. “Enfatizo que não levantamos apenas problemas, mas que com nossas pesquisas procuramos encontrar soluções técnicas e inovadoras para reduzir as emissões de gases do efeito estufa geradas pelo agronegócio no Brasil e, assim, agregar mais valor aos produtos agrícolas”.

A pesquisadora da Embrapa Soja de Londrina (PR) Mariângela Hungria da Cunha, também foi agraciada. Cada um receberá o prêmio em dinheiro de R$ 116.985,40 e um troféu.

Reconhecimento

Cerri publicou mais de 180 artigos científicos em revistas indexadas nacionais e internacionais, 40 capítulos de livros no Brasil e no exterior e é editor de 6 livros. Coordenou mais de 60 projetos de pesquisa com recursos do Governo Federal (Fapesp, CNPq, Capes, Finep, Petrobras) e de instituições estrangeiras (NASA, NSF, IAEA, GEF, EUROPEAN UNIT). Proferiu centenas de palestras no país e outras 60 no exterior.

É membro titular da Academia Brasileira de Ciências do Brasil, membro externo da Academia da Agricultura da França, e membro do IPCC (Intergovernamental Pannel on Climate Changes) da ONU desde 1993. Recebeu a Medalha Fernando Costa como Engenheiro Agrônomo do Ano, modalidade pesquisa, a Comenda da Ordem do Mérito Cientifico e Tecnológico do Brasil, a condecoração Cavaleiro da Ordem das Palmas Acadêmicas da França, e o certificado do Premio Nobel da Paz em 2007 pela sua atuação no IPCC.

Em 2009 recebeu o Prêmio Excelência Acadêmica Institucional USP e o título Ernesto Ylly Science Prize da Academia dos Países em Desenvolvimento (Itália). Em 2010 recebeu a comenda Gran Cruz da Ordem do Mérito Cientifico e Tecnológico do Brasil e em 2011 foi eleito membro da Academy of Science for the Developing World (Trieste, Itália).

Assessoria de Comunicação e Imprensa