Notícia

Agro S/A

Agrifutura discute a inovação no agronegócio

Publicado em 08 março 2018

 

O AgriFutura – Inovações no Agronegócio, organizado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, foi realizado entre 3 e 4 de março de 2018, no Instituto Biológico (IB), em São Paulo (SP), e contou com a participação de mais de 2.500 pessoas.

O evento inédito apresentou soluções inovadoras e tecnológicas para o agronegócio, além de painéis especiais com duas vertentes: a vertical, de culturas como hortaliças, frutas, bovinos de corte e de leite, grãos, cana e café, entre outros; e outra transversal, que abrange toda a agricultura, trazendo assuntos como gestão empresarial, agronômica, mercado, e tecnologias como IoT (Internet das Coisas) Big Data, blockchain, e hardwares como drones, sensores e leitores. Ao todo foram mais de 30 painelistas e moderadores trazendo as ações mais modernas do setor.

“Nosso grande diferencial é a abrangência. Em um mesmo local, os visitantes viram de perto as mais modernas soluções para o setor, tanto de empresas consolidadas no mercado quanto de startups. Tiveram, também, a oportunidade de acompanhar ações inovadoras e os resultados de pesquisas desenvolvidas na Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, e ainda assistiram a palestras e bate-papos sobre vários assuntos relacionados à inovação com representantes de diferentes segmentos”, descreve o secretário de Agricultura, Arnaldo Jardim.

O secretário complementa ainda destacando a atuação de 12 times de cinco programadores, makers, técnicos, marqueteiros, empreendedores e engenheiros que apresentaram soluções para os desafios tecnológicos lançados pelos próprios agricultores diante de suas necessidades, na primeira edição do HackathonAgrifutura. O grupo vencedor, CampoTracker, apresentou solução para a área de comercialização de produtos. O objetivo do projeto foi minimizar fraudes por meio de monitoramento individual de produto, utilizando sistemas de RFID em embalagens.

De acordo com Carlos Henrique Paes de Barros, assessor da Secretaria e coordenador do Agrifutura, o projeto deixou de ser apenas um evento para se tornar um movimento em prol da inovação e da tecnologia nos campos paulistas. A primeira edição teve a chancela de nomes de peso: SP Ventures, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Banco do Brasil, Desenvolve SP, Inseeds, Performa, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e outros investidores ansiosos pelas descobertas de inovação e tecnologia. John Deere, Bayer, Coopercitrus, Sistema Ocesp e Sicoob foram outras marcas que acreditaram na iniciativa.

Durante a cerimônia de abertura, o representante da área de Indústria e Serviços do BNDES, Rafael Vizeu Mancuso, lançou o projeto chamado Piloto BNDES IoT, uma linha de crédito de recursos não-reembolsáveis que deve financiar projetos-piloto de internet das coisas. De acordo com Mancuso, a iniciativa deve atender em especial o setor agro e o ambiente rural.

Já Guto Ferreira, Presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), destacou em seu discurso que a Inovação no Agronegócio, tema principal do Agrifutura 2018, encontra direta convergência com as diretrizes defendidas pela ABDI, a partir de junho de 2016. A Agência se posiciona como um dos agentes estratégicos da indústria 4.0 no Brasil e apoia eventos, ações e projetos de estímulo à inovação nos diversos setores, entre eles o agronegócio.

O sucesso do primeiro Agrifutura já levou ao lançamento da segunda edição, que tem previsão para ser realizado em setembro deste ano, na cidade de Campinas.

Reportagem completa na próxima edição da Revista Agro S/A