Notícia

Hoje MS

Agricultura Tropical é tema de seminário

Publicado em 15 setembro 2009

A apresentação do pesquisador João Lúcio de Azevedo vai tratar das influências de microrganismos na agriculturaDa redaçãoA Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, e a Fundação Bunge realizam no próximo dia 15, das 9h30 às 13h30, o seminário internacional "Os Desafios da Agricultura Tropical", com a participação de dois ganhadores do prêmio Fundação Bunge 2009 na área de ciências agrárias. Ligados à Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (Esalq-USP), João Lucio de Azevedo é pesquisador em genética de microrganismos relacionados à agricultura, e Carlos Eduardo Pellegrino Cerri desenvolve pesquisas nas áreas de mudanças climáticas globais e bioenergia.

Os outros convidados são o cientistas Rodolfo Augusto Sánchez, engenheiro agrônomo da Universidade de Buenos Aires, e Adalberto Luis Val, pesquisador na área de Ecologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), e Eliseu Roberto de Andrade Alves, engenheiro agrônomo da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

A apresentação do pesquisador João Lúcio de Azevedo vai tratar das influências de microrganismos na agricultura.

Carlos Eduardo Pellegrino Cerri fará palestra sobre redução da emissão de gases de efeito estufa na agricultura tropical e o uso de práticas mais conservacionistas de manejo agrícola, como o plantio direto e fertilização mais racional. Cerri afirma que o seminário é uma importante oportunidade de discutir a agricultura não apenas como atividade responsável pela produção de alimentos, mas também pela energia e por questões ambientais relacionadas aos biocombustíveis.

Palestrantes

João Lucio de Azevedo, 72 anos, recebeu o Prêmio Fundação Bunge na categoria Vida e Obra, que reconhece profissionais com carreiras consolidadas e suas contribuições para a sociedade. Coordenador de microbiologia do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) e membro da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), Azevedo participou Programa Genoma-FAPESP, no projeto que concluiu o primeiro sequenciamento completo de um organismo que ataca os citros - a bactéria Xylella fastidiosa. Desenvolveu um processo para isolamento e purificação do fungo Guignardia citricarpa e um kit de diagnóstico para detecçã o de fungos em citros. É engenheiro agrônomo doutorado em genética pela universidade britânica de Sheffield e pós-doutorado nas Universidades de Manchester e Nottingham, também na Inglaterra.

Nascido em 1974, Carlos Eduardo Pellegrino Cerri foi premiado na categoria Juventude. É professor do Departamento de Ciência do Solo da Esalq e foi bolsista da FAPESP de Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado. Recebe atualmente apoio da Fundação no âmbito do Programa Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes para desenvolver dois projetos. O primeiro busca apoiar políticas públicas relacionadas às transformações de ecossistemas naturais. O segundo projeto procura assegurar a sustentabilidade da produção de etan ol de cana-de-açúcar por meio da análise da emissão de gases de efeito estufa (GEE) no cultivo da planta.

O prêmio

O Prêmio Fundação Bunge, antigo Premio Moinho Santista, foi criado há 54 anos para incentivar a inovação em várias áreas do conhecimento. A premiação da edição de 2009 ocorrerá no dia 16 de setembro, na Sala São Paulo, na capital paulista. Os contemplados da categoria Vida e Obra receberão R$ 100 mil cada um, além de diplomas e medalhas. Na categoria Juventude cada um dos escolhidos receberá R$ 40 mil, além de diplomas e medalhas.

Sobre a FAPESP

Criada em 1962, a FAPESP é uma das principais agências de financiamento à pesquisa científica e tecnológica no Brasil. Atua em todas as áreas da ciência e tecnologia, financiando bolsas, auxílios a pesquisa e outras atividades de apoio à investigação e ao intercâmbio científico com grande impacto no desenvolvimento econômico, social e cultural do Estado de São Paulo.

O apoio se dá por meio de Programas Regulares, para o desenvolvimento de projetos de pesquisa e a formação de pesquisadores; Programas Especiais, que induzem a expansão de novas áreas de investigação; e Programas de Pesquisa para Inovação Tecnológica, voltados para o avanço do conhecimento e sua aplicação.

Por determinação constitucional, a FAPESP recebe mensalmente 1% das receitas tributárias do Estado.

Sobre a Fundação Bunge

A Fundação Bunge foi criada em 1955 com o objetivo de desenvolver ações de responsabilidade social do grupo Bunge no Brasil. Esse trabalho evoluiu ao longo do tempo para abranger também ações voltadas para a Sustentabilidade. A Fundação Bunge acredita que compartilhar conhecimento, disseminar a inovação e formar pessoas conscientes de que são as responsáveis pelas transformações que desejam é a forma de garantir no presente a construção de uma sociedade sustentável no futuro.

As iniciativas da Fundação Bunge dividem-se em três pilares de atuação: Incentivo à Excelência e ao Conhecimento Sustentável (Prêmio Professores do Brasil, Prêmio Fundação Bunge e apoio a estudos e pesquisas voltados para a Sustentabilidade); Socioambiental (Comunidade Educativa, um programa de escola sustentável e Comunidade Criativa, um programa de formação de jovens para o desenvolvimento local sustentável) e Preservação da Memória (Centro de Memória Bunge).

Assessoria de comunicação